8 de Março: Marlene Campos Machado defende maior participação da mulher

PTB Notícias 7/03/2010, 10:01


O dia 8 de março é dedicado à comemoração do Dia Internacional da Mulher.

Atualmente, tornou-se, para muitas pessoas, uma data um tanto festiva, com flores e bombons.

Para outros, a origem é relembrada por fortes movimentos de reivindicação política e trabalhista.

Mas, sem dúvida, é uma data que simboliza a busca de igualdade social entre homens e mulheres.

E, neste sentido, as mulheres petebistas do Estado de São Paulo têm a comemorar.

Além dos direitos trabalhistas conquistados por obra do Partido Trabalhista Brasileiro, como a Extensão dos Direitos Previdenciários às Donas de Casa e Domésticas, o 13º Salário, as Férias Remuneradas, o Registro em Carteira, comemoramos 78 anos de voto feminino no Brasil, outro direito fundamental adquirido pelo trabalhismo.

E comemoramos mais.

.

.

Comemoramos 13 anos da criação da AMTESP (Associação das Mulheres Trabalhistas do Estado de São Paulo).

Um movimento de mulheres atuantes iniciado com o objetivo de desenvolver atividades sociais e também para capacitar a mulher trabalhista.

Um movimento que cresceu, tomou corpo e transformou-se no maior departamento feminino na seara político-partidária, com cerca de 20 mil filiadas.

Esse movimento é o PTB Mulher! O PTB Mulher reúne mulheres de diversas classes sociais, faixas etárias e crenças religiosas.

O PTB Mulher congrega mulheres que repensam os nossos papéis como cidadãs e agentes políticas.

O PTB Mulher concilia mulheres na busca de alternativas para resolver problemas relacionados à mortalidade infantil e materna, à prostituição, à falta de segurança, à educação e à saúde, entre outras bandeiras empunhadas pelas petebistas.

A Presidente Estadual do PTB Mulher, Marlene Campos Machado, ressalta que a mulher não precisa estar à frente e nem atrás, mas, ao lado do homem na tomada de decisões políticas para o benefício da sociedade.

Segundo Marlene, ainda que comemorando precisamos continuar.

“Mesmo com a conquista do voto, a exclusão feminina nos processos eleitorais ainda é evidente.

Não mais no caso do direito de voto, mas nos espaços partidários destinados à concessão de legendas, e, por consequência, de mandatos eletivos.

As mulheres conquistaram o direito de escolher, mas não de serem escolhidas”, destacou Marlene.

Para ela, é preciso continuar na luta para que haja maior inserção feminina no quadro político, até porque as mulheres são a maioria no número de votos no Brasil, ou seja, 52% do eleitorado brasileiro é composto de mulheres.

“Tenho a expectativa de levantar nomes no estado de São Paulo para que em 2012, 2014 e 2016 novas mulheres petebistas disputem as eleições para o cargo de vereadora, deputada, prefeita e quem sabe presidente”, finalizou Marlene.

O Presidente Estadual e Secretário-Geral da Executiva Nacional do PTB, Deputado Campos Machado, afirma: “Existe um projeto audacioso para as mulheres trabalhistas.

O objetivo é criar uma estrutura do PTB Mulher independente da executiva estadual.

Essa atitude, inédita em todo o país, tem como horizonte a efetiva valorização e participação da mulher no cenário político”.

fonte: Secretaria de Comunicação do Diretório Estadual do PTB de São Paulo