Acolhimento de idosos é pauta de audiência presidida por Adilson Espindula

Agência Trabalhista de Notícias 23/08/2019, 7:46


Imagem Crédito: Tati Beling/Ales

O acolhimento institucional de idosos foi o tema em pauta na reunião da Comissão de Assistência Social da Assembleia Legislativa do Espírito Santo, que recebeu representantes do Conselho Estadual de Defesa dos Direitos da Pessoa Idosa (Ceddipi). A reunião foi realizada na quarta-feira (21), no Plenário Judith Leão Castello Ribeiro.

O presidente da comissão, deputado Adilson Espindula (PTB), falou sobre a importância da discussão e também defendeu o aumento dos recursos para a assistência social. “Precisamos ter políticas públicas voltadas para essa população, que vem aumentando muito no Estado. Os convidados de hoje deram uma grande contribuição nesse sentido. Estamos fazendo este ano audiências públicas para identificar aquilo que precisa melhorar na assistência social, ouvindo todos os gestores municipais, e ano que vem vamos debater com mais ênfase o acolhimento da pessoa idosa, mas nosso desafio é principalmente o aumento do orçamento destinado à Setades [Secretaria de Estado de Trabalho, Assistência e Desenvolvimento]”, avaliou.

Para a secretária-geral do conselho, Marta Nunes do Nascimento, o processo de envelhecimento da população brasileira é irreversível, daí a urgência na ampliação da oferta do acolhimento em instituições de longa permanência – popularmente conhecidas como “asilos” – realizado, em grande parte, por instituições filantrópicas cofinanciadas pelo Estado. “Nossa principal demanda é que o Estado possa garantir a oferta de atendimento nessa rede de instituições ou então que o serviço seja implantado, opção que consideramos mais onerosa”, afirmou.

Segundo Teresa Leny, técnica da Gerência de Proteção Social Especial da Secretaria de Estado de Trabalho, Assistência e Desenvolvimento (Setades), a ampliação da oferta do acolhimento esbarra na limitação do orçamento do Estado para a assistência.

“O que vemos é uma articulação da secretária para conseguir um valor maior para o orçamento anual da pasta, que é de 0,55%, e esperamos que atinja pelo menos 1%. Com base no recurso disponível atualmente, a Setades cofinancia 41 serviços de acolhimento em instituições de longa permanência ofertados em 32 municípios. Existe ainda um serviço de Casa Lar em Montanha, mantido pelo Estado, mas com capacidade para apenas dez idosos”, disse.

Com informações da Assembleia Legislativa do Espírito Santo