Adilson Amadeu quer atendimento multidisciplinar para diabéticos em SP

PTB Notícias 3/07/2011, 11:03


Em meio aos debates sobre sobre as isenções fiscais para o estádio do Corinthians, a Câmara Municipal de São Paulo aprovou o PL 402/2010, que prega a criação de um programa de atendimento multidisciplinar para diabéticos, de autoria do vereador Adilson Amadeu, do PTB de São Paulo.

O que isso significa?O portador de diabetes precisa de orientações em diversas áreas.

O uso de pílula ou uma gravidez numa mulher diabética precisa de recomendações especiais.

Com a glicemia alterada, um simples ferida no pé pode se transformar numa grave infecção.

Os insulinodependentes, principalmente, precisam ter consciência que a falta de controle da glicemia tem sérias repercussões que podem exigir a atenção de cardiologistas, dermatologistas, oftalmologistas, enfermeiros, nutricionistas,dentistas, psicólogos, profissional de educação física, etc.

A simples aplicação de insulina não basta.

É preciso saber definir dosagens e aplicar.

São tantas as orientações que, dificilmente, um único profissional, numa consulta de 10 ou 15 minutos, pode dar.

Essa orientação, entetanto, é imprescindível para um bom controle do diabetes.

É isso que vai definir a qualidade de vida do indivíduo com diabetes.

O mau controle pode levar à cegueira e até amputações.

“Ontem, referindo-se à construção do Estádio do Corinthians, um vereador (não lembro qual) dizia que é preciso pensar grande.

Pois bem, nesse projeto “pensamos grande” porque esse atendimento multidisciplinar já é dado em São Paulo, em hospitais particulares de ponta, como Oswaldo Cruz, Einstein e Sírio Libanês.

No município de Pindamonhangaba, um laboratório foi além, criou um programa de orientação e acompanhamento que inclui até culinarista, afinal não basta oferecer receitas saudáveis, é preciso saber prepará-las.

Pensamos grande, porque isso não é um luxo que só cabe a quem pode ser atendido nesses hospitais.

É uma necessidade”, afirma o petebista.

“Controlar melhor a glicemia, evita as consequências negativas do diabetes e contribui para a redução do número e do tempo de internações e o risco em intervenções cirúrgicas.

São mais leitos liberados.

Além disso, pode reduzir também o número de aposentadorias precoces por invalidez.

Para nós, esse tipo de programa, é uma necessidade para o portador de diabetes e para o próprio serviço público de saúde.

Segundo a Sociedade Brasileira de Diabetes, estima-se que, no Brasil, cerca de 10 milhões de pessoas sejam portadoras de diabetes e apareçam 500 novos casos por dia”, concluiu Adilson Amadeu.

fonte: site do PTB – SP Para outras informações:Silvana Silva – Assessoria de ImprensaTel.

(11) 3396-4005/9905-1204