Adilson Amadeu questiona “estrela” do arsenal antienchente de prefeitura

PTB Notícias 12/01/2012, 11:21


As chuvas já começam a fazer estragos em vários pontos do país e o vereador Adilson Amadeu (PTB SP) torce para que São Paulo não reviva nos próximos meses o mesmo drama enfrentado em 2011.

Para ele, em algumas regiões, pouco ou quase nada não foi feito para evitar o pior.

Continuamos dependendo da benevolência do clima.

Nas vizinhanças do Jardim Romano (onde foi feito um dique) a solução foi pontual.

Na região da Água Branca tudo continua como está.

Durante a CPI das Enchentes que presidiu, o vereador teve acesso a um quadro geral dos problemas e ações da prefeitura para prevenir e conter as inundações na cidade.

Em novembro passado, foi anunciada uma nova arma para esse combate: o caminhão hidrojato/sugador/reciclador indicado para a limpeza mecanizada de galerias.

Após consultas a alguns especialistas no assunto, o vereador constatou que o equipamento italiano não atende as características da rede de galerias da cidade, além de ter sido adquirido em caráter experimental por uma única empresa do setor.

O diâmetro do tubo de sucção, diz o vereador, é insuficiente para a retirada de pedras, pedaços de madeira ou garrafas pet.

Além de aspectos técnicos o vereador aponta ainda falhas no edital de contratação dos serviços.

Para Adilson Amadeu, além de ferir o princípio da eficiência, a legalidade, isonomia, publicidade e moralidade do pregão previsto para ser realizado na última segunda-feira, 9, também eram questionáveis.

Por isso ele recorreu ao Tribunal de Contas do Município (TCM) para impedir a realização do certame.

O tribunal garantiu a realização do pregão, mas determinou que nenhuma ordem de serviço fosse emitida antes do esclarecimento dos fatos apontados pelo vereador.

Na última segunda-feira (9/01/2012), entretanto, o pregão acabou cancelado.

Amadeu, apesar de ter sua pretensão atendida, lamentou o fato por outra razão.

“Se tivesse acontecido, minhas denúncias teriam ganhado mais fôlego.

O pregão era direcionado.

A vencedora só poderia ser a Trajeto/Monte Azul.

A ilegalidade estaria comprovada”, destacou Amadeu.

A prefeitura pode insistir no edital, mas o vereador também garante ficar atento às manobras para a contratação do caminhão.

O controle das inundações na cidade depende de piscinões, reforma de galerias, permeabilização do solo e eficiência dos serviços de manutenção.

O caminhão da Trajeto não garante o último item”, finalizou.

Agência Trabalhista de Notícias (PB), com informações do site PTB-SP