Aeroporto de Cacoal terá voos comerciais em novembro, diz Capixaba

PTB Notícias 26/10/2011, 7:19


Após uma série de trâmites legais e burocracia, finalmente o aeroporto de Cacoal (RO) deve entrar em funcionamento para voos comerciais a partir de novembro – pela empresa aérea Trip.

O anúncio foi feito pelo deputado Nilton Capixaba (PTB), idealizador do aeroporto.

Há pouco mais de um mês técnicos da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) estiveram em Cacoal para a vistoria de liberação do aeroporto.

Na última semana já era possível encontrar detalhes sobre a autorização de voos para Cacoal na página da Anac, na internet.

Para dar início as operações a Trip solicitou em Brasília autorização para operar em Cacoal com voos diários a partir do dia 21 de novembro.

A notícia é bem vinda pela comunidade ansiosa pelo funcionamento do aeroporto.

Conforme a gerente de uma agência, Shirley de Oliveira Borges, os voos diários devem impulsionar o turismo na região.

O presidente da cooperativa de Crédito e Negócios de Cacoal (Credicacoal), Gilmar Odorisi, também comemorou a notícia.

Segundo ele algumas empresas do segmento de alimentação na modalidade franquias, já começam a se instalar em Cacoal, e ele acredita que isso é só o começo.

“Cremos que com o aeroporto, Cacoal será a melhor cidade do Estado”, disse com entusiasmo.

Inicialmente a informação divulgada é de que haverá voos diários para Porto Velho e Cuiabá.

Os voos terão conexões das capitais para outras regiões do País, a exemplo do que já acontece em Ji-Paraná, por exemplo.

Foram investidos R$ 20 milhões na obraO aeroporto de Cacoal, iniciado em 2002 e concluído em 2010, contou com investimentos na ordem de R$ 20 milhões – sendo grande parte verba federal de emendas, dinheiro do governo do estado e terreno doado pela prefeitura.

Ao longo do tempo as obras foram paralisadas duas vezes e retomadas para a finalização dos trabalhos em 2009.

Neste mesmo ano a pista foi homologada para voos de pequeno e médio porte.

De lá para cá a luta foi para liberação de voos comerciais.

Para isso foi necessário investimentos em equipamentos de segurança.

Os equipamentos instalados, como a esteira de bagagens, o detector de metal, as câmeras de segurança, alojamento para os bombeiros, o caminhão de combate a incêndio, já estão nas dependências do aeroporto para proporcionar segurança e o bom funcionamento do empreendimento.

A pista construída com inspeção do Comando da Aeronáutica de Manaus (Comaer) tem 2,1 mil metros, e é considerada de alto padrão, com sistema de drenagem e outros requisitos importantes que garantem segurança para pousos e decolagens.

Agência Trabalhista de Notícias (LL), com informações do Portal Amazônia