Aidan Ravin adia divisão da Pasta de Esportes e Lazer em Santo André

PTB Notícias 30/01/2009, 17:02


A Secretaria de Cultura, Esportes e Lazer de Santo André não será mais desmembrada neste início de mandato, conforme tinha em mente o prefeito Aidan Ravin (PTB/SP).

Segundo informações de pessoas ligadas à atual administração, o chefe do Executivo não fará a divisão neste momento, porque ainda não encontrou um secretário para assumir a futura pasta.

O nome de Aidan para a Secretaria era Leo Noboru Watanabe.

Ele chegou a ser apresentado como integrante do primeiro escalão do governo petebista, e assumiu temporariamente a Diretoria de Esportes.

No entanto, no meio deste mês, Watanabe perdeu o cargo.

A assessoria da Prefeitura, sem entrar em detalhes, explicou que ele “não havia se adaptado ao método de trabalho da administração”.

Para o lugar de Watanabe, o poder público nomeou Almir José Padalino.

Entretanto, diferentemente de seu antecessor, o novo diretor de Esportes não tem presença garantida no primeiro escalão, segundo a assessoria do Paço.

A área de Esportes é considerada fundamental – desde a campanha – na administração Aidan.

O setor, segundo o então candidato a prefeito pelo PTB, receberia atenção especial por aglutinar questões como “saúde, educação, disciplina, cidadania e união entre praticantes e familiares”.

O desmembramento da Pasta sempre foi apontado como importante para Aidan colocar em prática o seu plano de governo, como a divisão do município em regiões esportivas.

SEM DECRETO – Assim como as criações da Secretaria de Segurança e do Fundo Social de Solidariedade, Aidan esperava desmembrar a Pasta de Cultura, Esportes e Lazer por decreto.

Mas o chefe do Executivo decidiu reconsiderar a ideia para evitar “desgaste jurídico”, embora há quem diga, reservadamente, que a reavaliação ocorreu a fim de se evitar problemas com os vereadores eleitos.

Os parlamentares chegaram a criticar a pretensão do prefeito de deixar a Câmara fora de “decisões tão importantes”.

A repercussão no Paço foi negativa, até porque o petebista ainda não conta com uma maioria confortável no Legislativo.

Fonte: Diário do Grande ABC