Aidan Ravin diminuirá repasse para FUABC gerir Hospital da Mulher

PTB Notícias 8/05/2009, 7:13


O prefeito de Santo André, Aidan Ravin (PTB), afirmou em coletiva nesta quinta-feira (07/05) que diminuirá o valor repassado para a Fundação do ABC, responsável pela gestão do Hospital da Mulher – Maria José dos Santos Stein, mas que não pretende cortar o convênio com a instituição.

A afirmação foi feita durante a apresentação dos resultados dos 100 dias do novo grupo gestor do hospital.

“As auditorias estão em fase final de execução, mas já conseguimos identificar alguns pontos que podem ser melhorados.

Percebemos que não há motivo algum para cortar o convênio com a Fundação do ABC, mas vamos diminuir o volume do valor repassado, que atualmente gira em torno de R$ 70 milhões por ano”, explica o prefeito, ressaltando que isso não trará prejuízos para os atendimentos.

Apesar da afirmação de Ravin, o superintendente do hospital, Carlos Henrique Okumura, prefere não ratificar a declaração do prefeito.

“Ainda não está nada certo, eles estão sendo revistos, assim como os de outras pastas”, conta.

Havendo o corte da verba, Okumura esclarece que a otimização dos serviços prestados será responsável por manter e até mesmo melhorar a qualidade dos atendimentos às mulheres.

Entre as alternativas para garantir o funcionamento adequado do equipamento estão três certificações de excelência que, uma vez conseguidas, aumentarão o total de repasse em até 50% a mais do que é feito atualmente.

Os certificados que estão com processo em andamento são o do Hospital Amigo da Criança (que pode garantir 8,5% de aumento total do repasse do SUS), Hospital de Ensino (21% de aumento em cima de procedimentos) e o Urso de Ouro da 3M (que garante descontos de até 20% na aquisição de insumos).

No último mês, o Hospital da Mulher atingiu quase 7,5 mil atendimentos.

No ano, os atendimentos relacionados a procedimentos de urgências e emergências de ginecologia e obstetrícia tiveram uma elevação de 12,7% com relação ao mesmo período do ano passado.

Os atendimentos de pré-natal cresceram 5%.

* Agência Trabalhista de Notícias com informações do Repórter Diário