Aidan Ravin é diplomado em Santo André e anuncia secretarias

PTB Notícias 18/12/2008, 13:00


O prefeito eleito de Santo André, o petebista Aidan Ravin, afirmou nesta quarta-feira (17/12) que pretender criar a Secretaria de Segurança Pública por decreto, o que excluiria a participação dos vereadores da discussão.

Embora tenha a prerrogativa de levantar o recesso e convocar sessão extra para que a Câmara vote a criação da Pasta, o futuro chefe do Executivo disse não querer fazê-lo em função da “urgência” do assunto.

“A primeira pessoa que chamei para compor o secretariado foi alguém para a área de Segurança.

Temos um projeto desenhado e planejado para o setor e estamos estudando a lei federal para saber da possibilidade de criar a secretaria por decreto”, explicou quarta-feira à noite, sem entrar em detalhes, após as diplomações do prefeito, da vice-prefeita (Dinah Zekcer) e dos 21 vereadores eleitos de Santo André.

O petebista recorreu ao governo federal para defender a sua pretensão.

“O presidente Lula se utiliza deste instrumento lá (em Brasília), por que não posso usar aqui? Se for possível, faremos no primeiro dia que pudermos.

“Aidan negou, porém, que tal atitude seja motivada por uma suposta falta de apoio dos futuros parlamentares – teoricamente, ele está atualmente em desvantagem numérica no Legislativo.

“Não tenho medo da Câmara, até porque a Segurança é a segunda principal preocupação da cidade e não acredito que algum vereador votaria contra essa secretaria.

O decreto é em função da urgência em se criar a Pasta e dar mais tranqüilidade à população”, justificou.

O futuro chefe do Executivo andreense garantiu que a criação da secretaria não onerará os cofres públicos.

“Irei reduzir o número de cargos comissionados na Prefeitura, o que automaticamente fará com que me sobre dinheiro para criar essa secretaria.

Não custará um centavo a mais para a administração.

O que teremos é uma redução no número de vidas perdidas e mais segurança nas ruas”, defendeu.

Aidan anunciou, no entanto, que deve usar o decreto apenas para a Secretaria de Segurança.

As demais mudanças previstas – como a separação da Pasta de Cultura, Esporte e Lazer – serão avaliadas em um segundo momento.

fonte: jornal Diário do Grande ABC