Aidan Ravin pede investimentos na Segurança Pública e na Administração

PTB Notícias 21/10/2009, 10:50


O prefeito de Santo André, Aidan Ravin (PTB), protocolou ontem, 20/10, na Câmara daquele município, projeto de lei para suplementação de R$ 3,4 milhões, que serão utilizados para atender a duas secretarias.

Para a Pasta de Segurança Pública Urbana e Trânsito será destinado R$ 1,9 milhão, reservado à aquisição de equipamentos – como 200 armas de fogo, 200 algemas e 745 coletes para a GCM (Guarda Civil Municipal).

A Secretaria de Administração e Modernização ficará com R$ 1,5 milhão para emprego na infraestrutura.

A Prefeitura encaminhou outro projeto, em paralelo, para criação de duas creches e uma escola infantil, assim como respectivos cargos de diretores e secretários.

Na proposta, o governo informa que alocará R$ 419 mil para o empreendimento.

Três secretários foram descolados para a sessão por conta das demandas do Executivo, cujos objetivos foram explicados aos parlamentares.

Adilson de Lima e Jorge Guzo, respectivamente de Segurança e Administração, e Arnaldo Pereira, de Orçamento e Planejamento (considerado peça fundamental no intercâmbio com os vereadores), conseguiram deixar o plenarinho com a promessa de aprovação do projeto.

Segundo Guzo, os créditos serão cobertos pelo superávit financeiro do ano passado.

“Trata-se de projeto único para alocação de verbas às duas secretarias.

Em Administração, precisaríamos de quase R$ 4 milhões, mas ficaremos com menos para este ano.

Em 2010, tentaremos usar o superávit de 2009 para suplementar outros R$ 2 milhões”, explicou, destacando que o montante será utilizado para melhoria dos servidores e para modernização dos sistemas de segurança de dados, além de aquisição de softwares e ampliação da capacidade de armazenamento de informações do governo.

Adilson de Lima afirmou que para a Segurança será destinado R$ 1,9 milhão.

“Investiremos em armas não letais, como cassetetes e spray de pimenta.

Trata-se de equipamento complementar, uma demanda que já tínhamos e precisamos resolver”, explicou Lima.

Os vereadores sinalizaram que a proposta deverá ser aprovada assim que entrar na ordem do dia.

“Todos entenderam que a demanda é importante”, destacou o líder do governo, Marcelo Chehade (PSDB).

“Ficou claro que se trata de algo necessário”, endossou o petista Tiago Nogueira.

* Agência Trabalhista de Notícias com informações do Diario do Grande ABC