“Al Gore mascara interesses políticos na luta contra aquecimento global”

PTB Notícias 21/06/2007, 7:49


O senador Mozarildo Cavalcanti, do PTB de Roraima, contestou, em discurso nesta quarta-feira (20), a versão difundida pelo ex-vice-presidente norte-americano Al Gore sobre o aquecimento global.

De acordo com Mozarildo, o documentário produzido por Al Gore – Uma Verdade Inconveniente teria um apelo publicitário voltado para o futuro lançamento de sua candidatura à Presidência dos Estados Unidos em 2008.

– A imensa campanha publicitária montada pelo ex-vice-presidente norte-americano Al Gore vem sendo questionada por entidades ambientalistas – afirmou o parlamentar.

Mozarildo fundamentou sua argumentação em opiniões de cientistas renomados mundialmente que consideram os argumentos de Al Gore utilizados no documentário “exagerados e alarmistas, com previsões catastróficas”, que não corresponderiam às previsões científicas.

Ele citou o cientista da Nasa, agência espacial norte-americana, e conselheiroda campanha político-ambiental de Al Gore, James Jensen, que admitiu haver imprecisões no filme.

Já o eminente geólogo Don Easterbrook teria afirmado que “há um grande número de imprecisões nas afirmações do ex-vice presidente e devemos temperá-las com informações e dados reais”.

O senador não nega a necessidade de as mudanças climáticas serem enfrentadas em escala mundial.

Reafirmou, no entanto, sua posição de que deve haver uma política diferenciada de responsabilização para os países desenvolvidos, conforme afirmou, os principais responsáveis pela emissão de gases poluentes em decorrência de sua atividade industrial no último século e meio, e para os países em desenvolvimento.

O senador elogiou a posição assumida pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva em recente reunião do G-8 (Alemanha, Itália, Estados Unidos, Inglaterra, Canadá, Japão, França e a Rússia), em que ele cobrou dos países desenvolvidos que assumissem as responsabilidades propostas no Protocolo de Kyoto e ignoradas principalmente pelos Estados Unidos.

Mozarildo recordou a declaração atribuída a Al Gore de que: “Ao contrário do que os brasileiros pensam, a Amazônia não é deles, mas de todos nós”.

Na avaliação de Mozarildo, essa afirmação não passaria de pretexto para justificar um desrespeito à soberania brasileira.

Ele voltou a alertar para o perigo de outros países estarem investindo em ações de apropriação de terras na Amazônia sem o conhecimento das autoridades governamentais.

Mencionou a campanha de arrecadação de recursos feita por entidade britânica para compra de terras na Amazônia.

– Não posso aceitar essa orquestração internacional, de maneira muito bem planejada, para tomar a Amazônia ao Brasil – disse o senador, que também alertou para a necessidade de o governo ficar atento a organizações não-governamentais (ONGs) brasileiras que eventualmente possam ter o mesmo propósito.

fonte: Agência Senado