Alex Canziani analisa possíveis mudanças no ensino médio

PTB Notícias 3/12/2013, 16:05


A comissão especial da Câmara dos Deputados que discute a reformulação do ensino médio aprovou o relatório final que apresenta mudanças para reformação da modalidade.

Entre as propostas está o ensino médio integral para 50% dos alunos da etapa de ensino no prazo de cinco anos após a aprovação da matéria.

O objetivo é que, em dez anos, a totalidade das escolas ofereça o ensino médio com sete horas diárias de atividades em sala da aula.

Outra mudança determina que a grade curricular seja dividida por área de conhecimento, e não mais por disciplina.

No último ano do ensino médio, os estudantes poderão escolher um destes segmentos: linguagens matemática ciências da natureza e humanas ou, ainda, optar pela formação profissional.

Além disso, o aluno, ao concluir o ensino médio, poderá cursar novamente o 3º ano, priorizando uma outra área do conhecimento.

O relatório estabelece ainda que o ensino médio noturno só poderá ser cursado por pessoas com mais de 18 anos e terá uma carga reduzida de quatro horas diárias, com duração de quatro anos.

Membro da comissão especial, o deputado Alex Canziani (PTB-PR) adianta quais serão os próximos passos da comissão.

“Vamos encaminhar as principais propostas para o MEC.

Também vamos elaborar um projeto de lei com essas propostas.

E para o ano que vem vamos criar uma nova comissão para avaliar essas mudanças que estamos propondo, como o currículo mais enxuto, entre outras propostas que vão refletir significativamente para mudarmos o nosso ensino médio para melhor”, destaca Canziani, que também é coordenador da Frente Parlamentar da Educação.

O Ministério da Educação anunciou investimento de R$ 1 bilhão no Pacto Nacional pelo Fortalecimento do Ensino Médio, que prevê a formação continuada de professores do ensino médio público.

Agência Trabalhista de Notícias (FM), com informações do site do deputado Alex Canziani (PTB-PR)