Alex Canziani defende modernização do currículo do ensino médio

PTB Notícias 5/03/2018, 8:27


Imagem Crédito: Alex Ferreira/Câmara dos Deputados

[vc_row][vc_column][vc_column_text css=”.vc_custom_1520204015724{margin-bottom: 0px !important;}”]Ao afirmar que o ensino médio ainda representa um gargalo na educação no Brasil, o presidente da Frente Parlamentar da Educação do Congresso Nacional, deputado Alex Canziani (PTB-PR), defendeu a modernização do currículo dessa etapa educacional.

O parlamentar destacou que a Base Nacional Comum Curricular (BNCC), cujo texto está em fase de estudo e discussão no Ministério da Educação (MEC), vai ser um dos meios mais importantes para que as mudanças ocorram.

Em sua opinião, o atual ensino médio não leva em consideração as diferenças na personalidade e nos objetivos de cada estudante. “Temos um único ensino médio para todos os alunos, mas alguns querem ir para a área biológica e outros para as exatas; existe quem quer ser professor e quem não quer fazer faculdade. Todos eles fazem o mesmo ensino médio. Não tem cabimento isso”, criticou.

A análise do parlamentar vai ao encontro do diagnóstico feito pelo MEC, que deve apresentar, até o fim de março, o texto da BNCC com propostas de flexibilização do currículo.

Português e matemática

Na última segunda-feira (26), representantes do ministério apresentaram a primeira versão do documento a secretários estaduais de Educação. O texto propõe que apenas as disciplinas de português e matemática sejam comuns a todos os estudantes. As demais matérias serão acomodadas na parte flexível do currículo, que já foi prevista pela reforma do ensino médio, aprovada em 2017.

Segundo o MEC, a base do ensino médio será dividida em quatro áreas do conhecimento: Linguagens, Matemática, Ciências Humanas e Ciências da Natureza. A divisão detalhada por disciplinas do que deve ser ensinado nas escolas poderá ser feita pelos estados, responsáveis pelos sistemas de ensino, que vão precisar elaborar currículos para as redes.

“Temos que dar oportunidade a todos os estudantes, como é feito em outros países, como os Estados Unidos, onde o aluno escolhe as matérias que quer fazer, dependendo do seu interesse e vontade, e já vai se dirigindo para aquilo que quer fazer na vida. Lamentavelmente, isso não ocorre no Brasil, mas vai acontecer agora, e para isso, a Base Nacional Comum Curricular é fundamental”, concluiu Alex Canziani.

Com informações da assessoria da Liderança do PTB na Câmara dos Deputados[/vc_column_text][/vc_column][/vc_row]