Alex Canziani propõe meditação para professores em redes de ensino

PTB Notícias 12/07/2011, 10:16


O deputado federal Alex Canziani (PTB- PR) quer promover um curso de meditação transcendental para os professores das redes estadual e municipais.

Para ele, a meditação pode ajudar muito no desempenho dos alunos em sala de aula, e os docentes poderiam se tornar multiplicadores deste processo.

O interesse de Canziani, que preside a Frente Parlamentar da Educação do Congresso Nacional e é membro da Comissão de Educação e Cultura da Câmara dos Deputados, ficou evidente com a palestra “A Importância da Meditação na Educação”, realizada hoje de manhã em Londrina pelo professor espanhol Joan Roura, doutor em Ciência Política pela Maharishi European Research University (MERU), na Holanda e Suíça.

Roura é docente qualificado em Meditação Transcendental e perito em Conhecimento Total.

O evento, no auditório Orlando Boni, da Infraero, reuniu 62 pessoas, principalmente professores, diretores de escola e demais educadores, numa promoção do próprio Canziani.

“Não tenho dúvidas de que a meditação pode ajudar a melhorar a qualidade do ensino oferecida nas escolas.

Minha idéia é levar este conceito para dentro das salas de aula”, salienta o parlamentar, ele próprio um meditante.

“Eu mesmo realizo duas pequenas sessões de meditação todos os dias, e me sinto revigorado e com muita disposição”, testemunha Canziani.

O professor Joan Roura explica que a meditação transcendental pode ajudar bastante na excelência acadêmica: “A meditação é uma espécie de medicina preventiva quando praticada regularmente”, defende o doutor.

De acordo com um estudo realizado na Califórnia (EUA) com 189 participantes, e publicado na revista “Education”, a técnica de meditação transcendental melhora, por exemplo, o rendimento em matemática e línguas em estudantes de baixo rendimento do ensino fundamental.

Ainda de acordo com a mesma pesquisa, especialistas dizem que a meditação deixa os alunos mais calmos, felizes e menos hiperativos; com uma maior capacidade para se concentrarem na atividade escolar.

No que diz respeito ao ambiente, nas escolas onde a técnica já foi implantada, os professores relatam menos brigas entre os estudantes, menos uso de linguagem abusiva e, de modo geral, um ambiente mais tranquilo.

Agência Trabalhista de Notícias (PB), com informações da assessoria do deputado Alex Canziani