Aliados veem José Auricchio Júnior como vice-governador de São Paulo

PTB Notícias 25/01/2011, 8:41


Perto de entrar no período de preparação do candidato governista à sucessão em 2012, o chefe do Executivo de São Caetano do Sul (SP), José Auricchio Júnior (PTB), se mantém cauteloso ao comentar seu futuro político.

Porém, aliados já projetam os passos do petebista pós-Prefeitura.

O cargo de vice-governador e uma cadeira no Senado Federal nas eleições de 2014 são dois postos dos quais o partido já vislumbra na configuração de fortalecimento d o quadro do prefeito.

Um dos planos para aglutinar força em torno de Auricchio e torná-lo público nas esferas superiores seria fazê-lo, após seu mandato, assumir função de destaque na gestão do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB).

Outra manobra é a negociação de bloco centro-esquerda com dirigentes significativos de algumas legendas, como Roberto Freire, do PPS, para formar grupo consistente de oposição ao PT em âmbito federal.

Presidente do PTB municipal, Airton Lauriano acredita que o fato de Auricchio ter atuado como coordenador regional das candidaturas tucanas de José Serra, à Presidência, e de Alckmin, ao Palácio dos Bandeirantes, o credencia para voos mais altos.

“Tenho certeza que ele será candidato.

Conseguiu fortalecer seu nome no cenário nacional e agora aposto em senador, no mínimo, ou vice-governador.

“A efeito de comparação, nas eleições de 2006, quando o pleito ao Senado contemplou apenas um candidato por São Paulo, assim como será no pleito de 2014, Eduardo Suplicy (PT) alcançou aproximadamente 9 milhões de votos para conquistar a vaga.

A soma de pessoas aptas a votar no Grande ABC é de 1,9 milhão.

Com isso, para sair consagrado, Auricchio necessitaria convencer, proporcionalmente,.

quatro vezes o eleitorado da região.

Integrantes da executiva estadual do PTB o consideram como coringa para interagir com o governo do Estado.

Pessoas próximas ao presidente estadual do partido, Campos Machado, creem que o prefeito pode ser peça importante no tabuleiro por conta da mudança do panorama político.

O eventual ingresso do prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (DEM), ao PMDB é analisado como sinal de enfraquecimento dos democratas.

O que poderia alterar a aliança na chapa com o atual vice-governador, Guilherme Afif Domingos.

O vereador do PTB Jorge Salgado, porém, configura o retorno de Auricchio ao Paço em 2016.

“Uso a tese histórica.

O (Walter) Braido e (Luiz Olinto) Tortorello voltaram.

Nada impede que ele dê continuidade ao projeto na cidade”.

* Agência Trabalhista de Notícias com informações do Diário do Grande ABC