Amazonino convoca população de Manaus para o combate à dengue

PTB Notícias 27/01/2009, 11:49


O prefeito Amazonino Mendes convocou a população de Manaus para o combate aos focos do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, e também ao caramujo africano, uma ameaça à saúde do cidadão.

“Temos que aliviar a cidade das endemias”, afirmou o prefeito ao participar nesta segunda-feira, 26/1, no Ginásio Zezão, bairro de São José, Zona Leste, do lançamento da Operação Impacto II, desenvolvida em parceria com o Governo do Estado, a Fundação de Vigilância à Saúde (FVS), o Corpo de Bombeiros e as Forças Armadas – Exército, Aeronáutica e Marinha.

“Além de combater a proliferação da dengue, os agentes irão orientar a população sobre como proceder para evitar que o mosquito que causa a endemia se multiplique”, observou Amazonino Mendes, que estava acompanhado pelo vice-prefeito Carlos Souza e dos secretários municipais de Saúde, Francisco Deodato; de Meio Ambiente e Limpeza Pública, Marcelo Dutra; de Educação, Therezinha Ruiz, e de Esportes, Fabrício Lima, além de representantes do Exército, Marinha e Aeronáutica, agentes de saúde e garis.

Após a abertura, as equipes de agentes se deslocaram para várias áreas da cidade com a missão de visitar casas localizadas em áreas mapeadas anteriormente como possíveis focos de mosquitos Aedes aegypti.

Durante 90 dias serão visitadas 315 mil casas , o que envolve um universo de 1,2 milhão de pessoas.

No total, estarão atuando mais de 1,8 mil agentes, incluindo 750 servidores da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), 140 da FVS e 320 das Forças Armadas e Corpo de Bombeiros).

O secretário Francisco Deodato destacou, que além da Semsa, a Operação Impacto II conta com a participação das secretarias municipais de Limpeza Urbana, Obras, Saneamento Básico e Habitação, do Meio Ambiente e da Educação.

O Estado vai disponibilizar servidores da FVS e da Secretaria de Educação.

Deodato explicou que no ano passado foram registrados 8.

701 casos de dengue em Manaus.

Em janeiro de 2008 houve 1.

339 casos contra 13 em período idêntico deste ano.

Francisco Deodato disse, ainda, que foi realizada uma parceria com a Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa) para que os agentes possam realizar a operação de combate à dengue em fábricas e galpões do Distrito Industrial.

O Sindicato da Construção Civil vai participar auxiliando os agentes nos canteiros de obras.

Os agentes visitarão também as lojas do comércio.

Estratégia envolve cinco açõesO secretário Deodato adiantou que a Operação Impacto II terá cinco ações de controle e combate à dengue.

1 – Combate ao vetor na fase de larva – Visita de casa em casa, realizando inspeções com identificação de coleções de água, potenciais criadouros do mosquito, eliminação e tratamento dos depósitos e orientação quanto à manutenção.

2 – Combate ao vetor na fase adulta – Aplicação de inseticidas a baixíssimo volume (UBV).

Nesse método as partículas são muito pequenas, o ideal para o combate ao Aedes Aegypti e até mesmo ao mosquito que ocasiona a febre amarela.

3 – Recolhimento do lixo e entulho – Devido grande parte dos depósitos serem do tipo D – lixo (recipientes plásticos, garrafas e latas), sucatas em pátios e ferros-velhos, entulhos de construção, a Semulsp fará mutirões de limpeza e recolhimento de lixo eliminado pelos agentes, evitando o acúmulo de água no material descartado.

4 – Educação em Saúde e Mobilização Social – Mobilizar e sensibilizar as escolas existentes nas áreas de risco, sobre educação em saúde na preservação e controle da dengue.

As equipes de agentes também visitarão associações de bairros, instituições nas prevenções e controle da dengue.

5 – Parcerias com empreendimentos de risco – Mobilização, sensibilização e saneamento em empresas do Distrito Industrial e no Sindicato da Construção Civil nas áreas de prevenção e controle da dengue.

Programação realizada na segunda-feira, 26Zona Sul – Rua São Sebastião, 520, bairro São Francisco próximo ao Sinpol(Marinha) e avenida Ipixuna, 1711, Cachoeirinha (Agentes de Endemias).

Zona Oeste e Centro-Oeste – UBS Lindalva Damasceno, Estado do Tarumã, quilômetro 03 (Exército), Praça da Igreja do São Jorge (Agentes de Endemias).

Zona Norte – Avenida Grande Circular, Terminal 4, bairro Amazonino Mendes II (Aeronáutica) e avenida Torquato Tapajós, próximo ao viaduto da Cidade Nova, bairro Colônia Santo Antônio (Bombeiros).

Zona Leste – Rua José Romão, próximo ao SESI – Colina do Aleixo (Exército) e rua Bom Jesus, Zumbi III (Agentes de Endemias).

Caramujo africano também é alvoAlém do combate ao mosquito transmissor da dengue, a Operação Impacto II também desenvolve ações contra a proliferação de caramujos africanos, motivo pelo qual o secretário Marcelo Dutra, do Meio Ambiente e Limpeza Urbana, fez uma explanação sobre o assunto.

“A campanha de combate ao caramujo africano faz parte desse grande mutirão de combate à dengue e vai ser útil para a orientação da população”, afirmou Marcelo.

O coordenador da Campanha de Combate ao Caramujo Africano, Rafael Melo, explicou que a Semma vai inicialmente mapear as zonas de maior incidência do caramujo africano com base nas denúncias feitas à secretaria e concentrar esforços nessas áreas.

Todos os agentes que vão trabalhar no combate à dengue receberam material informativo para distribuir junto à população orientando como fazer a coleta e o descarte do caramujo africano.

De acordo com Rafael, de novembro do ano passado até esta segunda-feira, 26, a Semma tem registradas aproximadamente 100 denúncias de focos de caramujo africano, a maioria referentes a terrenos baldios.

“Com base nessas denúncias e nos registros do ano passado vamos concentrar esforços para levar orientação à população nessas localidades”, garantiu Rafael.

Ele ressaltou ainda que este ano a campanha está utilizando também espaços na mídia para orientar a população.

São spots de rádio e VT’s na televisão, mostrando, passo a passo, como fazer a coleta e o extermínio dos caramujos.

fonte: site da Prefeitura de Manaus (AM)