Amazonino Mendes assina decreto que cria o Corredor Ecológico do Tarumã

PTB Notícias 24/01/2009, 10:03


Com reflexos na qualidade de vida da população da capital do Amazonas o prefeito de Manaus, o petebista Amazonino Mendes, está criando o Corredor Ecológico Urbano das Cachoeiras do Tarumã, na Zona Oeste, que compreende a faixa marginal de 30 metros contados a partir da cota máxima de seis afluentes que deságuam no igarapé das Cachoeiras do Tarumã: os igarapés da Anta, Água Branca, da Bolônia, da Pedreira, do Galo e Vida Boa.

Ao todo, o mais novo corredor ecológico da área urbana da cidade possui 32.

176,43 metros de extensão, abrangendo uma área de 4.

074.

012,93 metros quadrados e incluindo as áreas verdes dos conjuntos Parque Residencial das Nações, Balneário Residencial Tarumã e Condomínio Mediterrâneo I.

O decreto de criação do corredor pretende garantir a recuperação e a manutenção da biota, facilitando a dispersão de espécies e a recolonização de áreas degradadas bem como a manutenção das áreas particulares do entorno do corredor.

A garantia de criação do corredor foi dada na última quinta-feira, 22, com a assinatura pelo prefeito Amazonino Mendes do decreto que institui a área de proteção.

Ações de criação e manutenção de áreas protegidas fazem parte da política de gestão ambiental da Prefeitura, que está realizando estudos para a viabilização de novos corredores, entre os quais os do Igarapé do Tabatinga, do Geladinho e do Goiabinha.

O secretário municipal de Meio Ambiente e Limpeza e Serviços Públicos, Marcelo Dutra, ressalta a importância da criação de corredores, pois, segundo ele, constituem a garantia de manutenção do fluxo gênico de espécies de fauna e flora entre fragmentos florestais situados no ambiente urbano do município.

Ele enfatiza também que as ações ambientais da administração Amazonino Mendes priorizarão sempre o bem-estar dos 2 milhões de habitantes da cidade de Manaus.

Os estudos de viabilização de mais espaços protegidos são realizados pela Coordenadoria de Gestão Territorial e Ambiental (CGTA) da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semma), ficando a gestão da área a cargo da Coordenadoria de Áreas Protegidas (CAPr).

A coordenadora de Áreas Protegidas da Semma, Myrian Koifman, afirma que as cachoeiras já são áreas protegidas por lei devido a sua relevância ambiental e paisagística.

“Com a criação do Corredor das Cachoeiras do Tarumã estamos reforçando a proteção a uma das áreas mais bonitas e relevantes para a cidade, que ainda se encontra preservada e possui cachoeiras tradicionais que infelizmente já apresentam poluição, mas podem vir a se recuperar com a regeneração natural das áreas degradadas ao longo do curso d’água, agora protegido”, afirmou Myrian.

DesequilíbrioNa área do Corredor das Cachoeiras do Tarumã estão situados empreendimentos imobiliários que causam desequilíbrio ambiental por conta da falta de cuidados com as intervenções realizadas.

É o caso, por exemplo, de um condomínio habitacional que foi licenciado há mais de cinco anos e causou a destruição da mata ciliar em um trecho do corredor com o início da construção.

“A intenção agora com a criação do corredor é de que essa área se regenere e não volte a ser destruída, constituindo-se na área verde que é requisito exigido por lei para aprovação do conjunto”, explica a coordenadora.

Os corredores do Tabatinga, Geladinho e Goiabinha deverão ter, em breve, os decretos de criação assinados pelo prefeito Amazonino Mendes.

A área total do Tabatinga já foi calculada e corresponde a 2.

155.

717,21 metros quadrados.

Técnicos do CGTA informaram que as áreas totais dos igarapés do Geladinho e Goiabinha são de 1,8 mil e 6,7 mil metros lineares de extensão, respectivamente.

fonte: site da Prefeitura de Manaus (AM)