Amorim condena ações arbitrarias contra extrativistas em Rondônia

PTB Notícias 16/03/2009, 8:20


O Deputado Ernandes Amorim (PTB-RO) afirmou, em discurso no plenário da Câmara, que o Ministério do Meio Ambiente tem se revelado ao povo Rondoniense como o seu carrasco.

Segundo ele, o IBAMA e o Instituto Chico Mendes “têm movido uma perseguição insana aos extrativistas da Reserva Federal do Rio Preto e Barreiro das Antas”.

Ernandes Amorim lamentou que alguns critérios para a contratação de profissionais nas reservas extrativistas não estão sendo observados.

Para ele, o perfil desse profissional deve contemplar o conhecimento prévio das comunidades, suas peculiaridades, tradições e culturas.

“O Instituto Chico Mendes, que deveria primar pela orientação correta e humanística dos extrativistas, está tomado por onguistas que promovem uma caçada as bruxas tratando toda uma população como invasores, com ameaças e uso de armas de grosso calibre.

Tenho em meu Gabinete um manifesto assinado pelos associados da Associação dos Seringueiros e Agro-Extrativistas do Baixo Rio Ouro Preto que relata de forma dramática o tratamento desumano que estão recebendo de duas Servidoras do Instituto Chico Mendes, que a exemplo do Ministro Minc, tratam a todos até que se prove ao contrario como bandidos”, denunciou o Deputado.

Amorim revelou também que os extrativistas reclamam ainda das dificuldades impostas pelas duas servidoras para se conseguir o licenciamento ambiental para instalação do Programa Luz para todos, reabertura das estradas vicinais dentro da reserva, emperrando com isso o desenvolvimento de suas atividades produtivas, e a implantação de um programa do Governo Federal.

“Chamam a nossa atenção para a questão do Plano de Manejo da reserva do Rio Ouro Preto, que deliberadamente não tem o seu curso normal, para conclusão, com a intenção clara de colocar os extrativistas na ilegalidade, o que eles não querem, pois precisam trabalhar e querem isso dentro da lei.

A insanidade dessas servidoras é tamanha, que a pescaria para a sobrevivência das famílias que vivem na reserva, foi por elas proibida, o que configura uma arbitrariedade sem precedentes”, disse ele.

“Fica o nosso alerta aos dirigentes do Instituto Chico Mendes, que retirem imediatamente da reserva as Servidoras Luciana Nars e Tatiane Rodrigues de Lima, pois a persistir suas ações truculentas e arbitrarias os extrativistas serão obrigados a tomarem a decisão de expulsarem-nas da reserva, pois tudo já passou do limite do suportável.

Essas ações arbitrarias, não pode continuar, pois estão manchando o nome de Chico Mendes, que tombou em defesa da causa dos Amazônidas, que não suportam mais viver sobre a opressão dos onguistas do IBAMA”, concluiu o Parlamentar petebista.

* Agência Trabalhista de Notícias