Amorim questiona exclusão de seringueiros para discutir crise no setor

PTB Notícias 26/02/2009, 13:53


O deputado federal Ernandes Amorim (PTB) questionou na manhã desta quinta-feira, 26/02, do Ministério do Meio Ambiente (MMA) e a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) o porquê da exclusão dos seringueiros na reunião solicitada por ele para discutir uma política para o extrativismo na região e fixação de um preço mínimo para os produtos, principalmente o da borracha.

A reunião está marcada para os dias cinco e seis de março próximo, mas a convocação foi feita apenas para os órgãos públicos como Emater, Ibama e Secretaria Estadual do Desenvolvimento Ambiental (Sedam).

Essa reunião, segundo relato feito por produtores ao parlamentar, estaria sendo preparada pela representação do MMA em Rondônia, mas “estranhamente” excluído os interessados – seringueiros e catadores de essências extrativistas na região – e, principalmente, o autor do pedido.

No início do mês Amorim solicitou de Silvio Porto, diretor de Logística e Gestão Empresarial da Conab, o envio do técnico Humberto Lobo para discutir, em Porto Velho, com os representantes dos seringueiros de Rondônia, Acre e Amazonas, as dificuldades que o setor extrativista vem sofrendo, em especial à política de preço mínimo e comercialização.

Em seguida, o parlamentar se uniu ao seu colega Sérgio Petecão (PMN-AC), numa articulação política envolvendo as bancadas federais dos estados da Amazônia para pressionar o Governo Federal a “salvar” a atividade na região, em decorrência de os seringueiros e outros coletores de essências extrativistas estarem “passando necessidades”, por falta de normatização do decreto que baliza o preço mínimo dos produtos na região.

“É muito estranho essa postura da representação do Ministério do Meio Ambiente em Rondônia.

Estamos cobrando providências já que somos o autor do pedido dessa reunião bem como o envio do técnico, mas para discutir a situação com os seringueiros e as diversas associações deles tanto em Rondônia quanto do Acre e do Amazonas.

Mas os produtores nos procuraram com essa informação de que o técnico Humberto Lobo, conhecedor desse problema na região, virá a Porto Velho nos próximos dias cinco e seis de março, mas para discutir o assunto apenas com órgãos públicos.

Essa tem sido a praxe desse órgão ambiental no Estado, fazer as coisas às escondidas e não sabemos a razão.

Nós queremos e vamos fazer essa reunião de forma ampliada com os seringueiros e suas organizações e os parlamentares.

Não se resolve política pública às escondidas.

Inclusive estou pedindo punição para esse tipo de postura cínica e incorreta”, disse Amorim.

Ele voltou a defender a fixação do preço mínimo da borracha, essencial para assegurar a subsistência do segmento extrativista na região.

” “Esse preço mínimo, principal reivindicação dos produtores, não está sendo garantido, o que está causando grandes prejuízos aos seringueiros de Rondônia, Acre e Amazonas, muito deles passando até fome”, reclamou Amorim cobra ao MMA e Conab a convocação pública da reunião com data e local da reunião e a conseqüente mobilização e convite aos seringueiros de Rondônia, Acre e Amazonas e as respectivas bancadas federais nesses estados.

* Fonte: Agência Trabalhista de Notícias com informações do Portal Rondônia Agora