Anderson Xavier e líderes da JPTB prestam homenagem ao fundador do PTB

PTB Notícias 19/04/2012, 14:19


[vc_row][vc_column][vc_column_text]Graças aos ideais e espírito de progresso do patrono do Partido Trabalhista Brasileiro (PTB), Getúlio Vargas, o Brasil cresceu e ainda regozija com o resultado do trabalho árduo que o ex-presidente da República instalou no país enquanto governou. E é nesse caminho, através das características de vontade e disposição de Vargas, é que a Juventude do PTB segue, de sempre querer levar progresso a sociedade brasileira.

Embasado nessa filosofia e de poder reverenciar o legado que Vargas deixou na legenda e dos trunfos que proporcionou à nação, membros da Executiva Nacional da JPTB, como o presidente nacional, Anderson Xavier, e os líderes estaduais Graciela Nienov (RS), Denisson Costa (MA) e Julio Cals (CE), além de uma comitiva de militantes gaúchos, foram até a praça XV de Novembro, em São Borja, para reverenciar a memória e o legado deixado por Vargas, que completaria 130 anos nesta quinta-feira (19) se ainda estivesse vivo.

“O PTB é um partido genuinamente brasileiro, e que vem de 1930. É o partido que representa e sempre representou os ideais do trabalhador. Imagina o que era um homem sair de São Borja, no interior do Rio Grande do Sul, e chegar por duas vezes à presidência do Brasil. Imagina o que é o homem pensar no futuro e no futuro, bem futuro, estipular leis que até hoje são referendadas como leis que fazem a diferença no mundo. Os direitos do trabalhador que foram instituídos por Getúlio Vargas são referências para o resto do mundo, não só para os trabalhadores brasileiros”, destacou Anderson Xavier.

O líder do movimento jovem do PTB disse ainda, além de enfatizar as glórias levadas a frente “do grande líder, do grande homem” do fundador da legenda, a Juventude trabalha com os métodos de visão social e trabalhista aplicados por Vargas. Nós, trabalhistas, argumentou Anderson, defendemos que o capital e o trabalho devem andar juntos. Segundo o presidente, a Juventude tem por obrigação disseminar essa ideologia, pois “nós não somos a Juventude de um partido qualquer”.

“Nós somos a Juventude do Partido Trabalhista Brasileiro”, corroborou Anderson Xavier. “A Juventude na época de Getúlio era a ala moça do PTB, onde os jovens se reuniam. A UNE (União Nacional dos Estudantes), Getúlio Vargas assinou a liberação para que a UNE existisse. Veja o que é e o que representa a UNE hoje, e veja o que era a UNE e para que ela foi criada. Isso é uma visão social. Isso é, sem dúvida nenhuma, pensar anos luz à frente.”

Anderson relembrou um dos jargões do qual Getúlio Vargas era popularmente conhecido: pai dos pobres. Ele ressaltou que o maior estadista do país tem uma frase num discurso dele que diz que “quando a fome bater em vossa porta, lembrai-vos da minha porta”. Para o presidente da JPTB, “isso não é um discurso, é de uma pessoa que realmente sente”.

“O ex-presidente Lula tinha uma aprovação gigantesca, a presidente Dilma tem uma aprovação gigantesca, mas hoje é muito mais fácil. Hoje, lança um programa o Fome Zero, que não deu em nada, e o mundo todo fica sabendo com um clique na internet. Getúlio não tinha isso. Você ia do Oiapoque ao Chuí e ele era reconhecido o pai dos pobres. Getúlio não tinha a propaganda maciça que se tem hoje, não tinha televisão, tinha rádio mas só nos grandes centros, e ele ficou conhecido como o pai dos pobres”, afirmou.

O líder nacional disse ainda que o PTB precisa retomar festividades que faziam e hoje já “não fazem mais parte” do calendário de comemorações do partido, como o Dia do Trabalhador, em 1º de maio. De acordo com Anderson, essa identidade pregada há décadas pela sigla petebista “foi perdida” para as centrais sindicais e os partidos políticos.

“Mas isso é uma história nossa, é uma história do PTB. É uma história do PTB, do PTB do Brasil, do PTB do Rio Grande do Sul, do PTB de São Borja. E nós temos que trazer para si essa ideia, trazer essa identidade, porque esse dia é nosso. Foi o nosso fundador que instituiu”, argumentou. “Eu quero estar daqui a 10, 15 anos com Juventude renovada, com partido renovado, com movimentos renovados, voltando a São Borja reverenciando o nosso líder e eterno presidente.”

Anderson Xavier também comentou que vê com satisfação a motivação dos jovens do partido em gostar de fortalecer as suas identidades e a questões trabalhistas. O presidente da Juventude do PTB avaliou que “o jovem de hoje é o aposentado de amanhã”.

Ele conta que quando o partido lançou a campanha pelo fim do fator previdenciário, a JPTB participou da campanha “ativamente, porque nós vamos nos aposentar no futuro”. “Se hoje já está ruim, a taxação em cima dos aposentados, a questão da DRU, se hoje está ruim imagine daqui a 25, 30 anos quando começarmos a pensar mais seriamente na aposentadoria. Hoje, ou se faz uma aposentadoria privada, ou você não tem uma aposentadoria decente, digna, dos anos de contribuição. A Juventude pensou muito nisso, nós discutimos muito na Juventude Nacional”, disse.

Anderson contou que na Carta Brasil, lançada no último Encontro Nacional, a JPTB manifestou-se contra o fator previdenciário, e a favor das 40 horas semanais. Isso porque, questionou o líder da JPTB, se nós hoje não pensarmos no trabalhador como Getúlio pensou lá atrás, o que vai ser a história do PTB?

“Se não chegar, se não criar novas lideranças, o que vai ser da história do PTB? E nós temos grandes nomes no Brasil, e esses grandes nomes do partido que exercem seus mandatos tem, sim, a responsabilidade de fazer cada vez mais o PTB forte dentro das ideologias deixadas por Getúlio Vargas. A Juventude segue nesse caminho, segue querendo transformação e querendo transformar, porque a Juventude é o caminho mais rápido para transformação”, afirmou.

Agência Trabalhista de Notícias, por Felipe Menezes[/vc_column_text][/vc_column][/vc_row]