Antonio Brito comenta medidas de combate a doenças relacionadas à pobreza

PTB Notícias 18/10/2013, 18:46


Relatório da Subcomissão Especial sobre Doenças Determinadas pela Pobreza deve ser votado na próxima reunião do colegiado, na quarta-feira (23/10/2013).

A principal conclusão é a de que os órgãos ligados à saúde devem cruzar os seus dados com os do cadastro único de programas sociais do governo federal e com os da população carcerária, por exemplo, para aperfeiçoar as políticas públicas relacionadas a doenças como tuberculose e hanseníase.

A subcomissão foi criada em março de 2013 para analisar e diagnosticar a situação das políticas de governo relacionadas ao combate das doenças que têm como pano de fundo a pobreza.

A tuberculose, por exemplo, ainda é uma ameaça aos brasileiros, especialmente nas periferias e áreas mais carentes do país.

Em 2011, foram registrados 71 mil novos casos.

O Rio de Janeiro é o estado com a maior incidência da doença, com mais de 11 mil casos por ano.

O relator da subcomissão, deputado Antonio Brito (PTB-BA), disse que um dos principais problemas é o abandono do tratamento da doença.

“Que aos três, quatro meses, quando a pessoa não sente mais os sintomas, ela pensa que está curada e abandona o tratamento e, portanto, nós temos a tuberculose muito resistente, o que acaba gerando um bacilo ou uma tuberculose recidiva com mais força; inclusive passando para a população uma tuberculose com mais força.

Então é fundamental, por exemplo, que os programas bolsa-família e até o Benefício de Prestação Continuada, que é constitucional; eles possam garantir o tratamento da tuberculose durante o período dos seis meses”, diz.

Brito afirma que é necessário oferecer incentivos para a continuação do tratamento como fornecimento de alimentação e transporte.

O relatório ainda recomenda mais recursos para a pesquisa científica relacionada ao tratamento das doenças ligadas à pobreza de parte da população.

Agência Trabalhista de Notícias (FM), com informações da Rádio CâmaraFoto: Gustavo Lima/Agência Câmara Notícias