Após visita, João Manoel relata problemas da Santa Casa de Piracicaba

PTB Notícias 8/10/2014, 8:23


A Santa Casa de Piracicaba (SP) quer a contribuição da população para criar 10 leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva).

O provedor Adilson Zampieri defende a doação nas contas de água, luz ou telefonia fixa.

Zampieri apresentou a sugestão aos vereadores na segunda-feira (6/10/2014), no Plenário Francisco Antônio Coelho.

Houve suspensão do expediente da 55ª reunião ordinária por 30 minutos e o assunto voltará a ser discutido nas próximas semanas.

O presidente da Câmara, João Manoel dos Santos (PTB), disse ter visitado a Santa Casa para conhecer a infraestrutura.

“Presenciei um esforço fora do comum.

A causa é nobre e o problema é sério”, disse.

Ele sugeriu uma nova reunião entre os diretores da Santa Casa e os vereadores, com suspensão de expediente na ordinária nas próximas semanas.

A própria instituição ainda não sabe informar qual o modelo mais adequado de cobrança e trará para o próximo encontro na Câmara números detalhados dos repasses governamentais.

A contribuição mensal de 135 mil contas de água seria suficiente para a ampliar o atendimento.

O provedor sugere o repasse de R$ 2 para residências e R$ 5 para pessoas jurídicas.

“Já sabemos que a carga tributária é alta no país, mas estamos preocupados e contamos com a mobilização da população e da Câmara de Vereadores”, disse Zampieri.

A implantação inicial de uma única UTI adulto é estimada em R$ 1.

735,610, entre equipamentos, mobiliários e estrutura.

A manutenção diária por leito é de aproximadamente R$ 1.

600, sendo que 50% do valor é coberto pelo SUS (Sistema Único de Saúde), o que gera R$ 224.

968 de déficit para a Santa Casa.

A violência urbana e o aumento de acidentes de trânsito são fatores que impactam a assistência de urgência e emergência no setor de pronto atendimento, informou Zampieri.

Levantamento de 2013 coloca a região de Piracicaba em primeiro lugar no interior nas ocorrências de acidentes de trânsito, com registro de morte em 54% dos casos com motos.

Zampieri disse que atualmente as UTIs da Santa Casa atendem sete pacientes por dia nos casos de média e alta complexidades.

A permanência aproximada em cada unidade é de 12 dias.

“Isso não é o normal, é próprio de casos com politraumas e outras emergências.

É um prazo muito longo”, avaliou ele, que esteve na Câmara acompanhado da administradora Vanda de Carvalho Petean e do diretor Alexandre Valvano Neto.

Agência Trabalhista de Notícias (LL), com informações da Câmara de Vereadores de Piracicaba Foto: Fabrice Desmonts/CVP