Aprovado no Senado plano de carreira para PMs e bombeiros do DF

PTB Notícias 29/10/2009, 8:40


O Plenário do Senado aprovou por unanimidade, nesta quarta-feira (28/10), projeto que reorganiza a Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros do Distrito Federal, ao estabelecer critérios para progressão funcional.

De iniciativa do Poder Executivo, a proposta (PLC 222/09) também cria a Gratificação por Risco de Vida (GRV) para esses servidores, no valor de R$ 250 mensais em 2009 e sujeita a aumentos programados para elevar o benefício a R$ 1 mil até 2014.

A proposta irá agora a sanção do presidente da República.

O projeto, que foi aprovado pelo Plenário da Câmara dos Deputados na semana passada, e na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) do Senado na manhã desta quarta-feira, teve como relator na comissão o senador Gim Argello (PTB-DF).

Depois de aprovada na CCJ a matéria teria que passar ainda pelo exame da Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional (CRE), mas, por acordo, foi diretamente ao exame do Plenário, devido à necessidade de agilizar sua votação.

O senador Eduardo Azeredo (PSDB-MG), pela CRE, relatou o projeto diretamente no Plenário, pedindo a sua aprovação.

Gim Argello agradeceu aos senadores Adelmir Santana (DEM) e Cristovam Buarque (PDT) e aos deputados federais Carlos Alberto Fraga (DEM-DF), Bispo Rodovalho (DEM-DF), Laerte Bessa (PSC-DF) e Rodrigo Rollemberg (PSB-DF) pelo empenho na aprovação da matéria.

Foi seguido por diversos senadores.

Agradeceu ainda ao presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva pela iniciativa e ao governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda, que “telefonou aos líderes pedindo a desobstrução da pauta para a votação da proposta”, elogio que mereceu a aprovação dos demais parlamentares.

O senador Romeu Tuma (PTB-SP) fez uma crítica aos governadores que têm se posicionado contrários ao aumento salarial para os policiais militares.

O líder do PSDB, senador Arthur Virgílio (AM) considerou a medida justa e homenageou o governador José Roberto Arruda por sua “administração moderna” do Distrito Federal, em especial a política fiscal.

* Agência Trabalhista de Notícias com informações da Agência Senado