Arlen Santiago cobra mais recursos do governo federal para a saúde de Minas Gerais

PTB Notícias 6/07/2016, 16:54


Imagem Crédito: Ricardo Barbosa/ALMG

[vc_row][vc_column][vc_column_text css=”.vc_custom_1467834750524{margin-bottom: 0px !important;}”]O deputado Arlen Santiago (PTB), presidente da Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, recebeu, na última segunda-feira (27/6), o promotor de Justiça e coordenador do Centro de Apoio Operacional das Promotorias de Justiça de Defesa da Saúde (CaoSaúde), Gilmar de Assis.

A ocasião marcou a entrega do relatório do CaoSaúde sobre a situação de rendimentos e recursos da saúde em Minas Gerais, e conta com documentos que comprovam dados a respeito do rendimento per capita na área e a possibilidade real de elevação dos recursos.

De acordo com Arlen Santiago, o relatório atesta que Minas Gerais é o 15º colocado quanto ao rendimento per capita na área da saúde no país, mas possui capacidade para alcançar a segunda colocação, já que conta com o segundo melhor parque de atendimento instalado na área da saúde, o que poderia elevar os recursos da Secretaria de Estado de Saúde em um valor estimado de mais de R$ 1 bilhão por ano.

O promotor Gilmar de Assis afirmou que é fundamental discutir e reajustar o financiamento da saúde, antes que o governo federal aprove uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que pretende impedir qualquer aumento real dos gastos primários do governo, isto é, gastos com saúde, educação, programas sociais, salários do funcionalismo público etc.

“Estabelecer um teto que congelará os gastos públicos nos próximos 20 anos, inclusive na área da saúde, é inadmissível. É necessário fazer um reajuste. A sociedade brasileira precisa, antes de adotar um teto, discutir o financiamento da saúde, já que o Brasil é o pior investidor da América”, explicou.

A ocasião da entrega do relatório serviu também para que Arlen Santiago explicasse como fará a movimentação política em defesa da saúde em Minas Gerais. O deputado explicou que também já solicitou, junto ao vice-governador Antônio Andrade (PMDB), agendamento de reunião com o presidente da República em exercício, Michel Temer, para levar esses recursos que, de acordo com o parlamentar petebista, estão sendo sonegados de Minas.

“Isso poderá dar um impacto, pelos nossos cálculos, de R$ 1,2 bilhão, que o governo federal tem sonegado para as ações de média e alta complexidade em Minas Gerais. A ação agora é política, visto que os recursos para a saúde estão diminuindo cada vez mais”, finalizou Arlen Santiago.

Com informações da assessoria do deputado Arlen Santiago (PTB-MG)[/vc_column_text][/vc_column][/vc_row]