Arlen Santiago vai à audiência com MPF por melhoria aos pacientes renais de Minas

PTB Notícias 28/01/2017, 8:19


Imagem Crédito: Divulgação

[vc_row][vc_column][vc_column_text css=”.vc_custom_1485598751944{margin-bottom: 0px !important;}”]O Ministério Público Federal – MPF, por meio da Procuradoria Regional dos Direitos do Cidadão de Minas Gerais, promoveu, na terça-feira (24), audiência pública para debater as condições de tratamento oferecidas no estado aos pacientes renais e a possível necessidade expansão e criação de clínicas de diálise. O deputado estadual Arlen Santiago (PTB-MG), que é médico e presidente da Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, foi convidado a compor a mesa da audiência e falou da falta de medicamento para os transplantados. Segundo ele, quando o paciente consegue ser atendido, e o transplante é viabilizado, muitas vezes não consegue pagar o tratamento, já que o custo dos medicamentos é alto e o poder público não os disponibiliza.

A falta de expansão e de novas clínicas de diálise, com o objetivo de tratar a saúde dos portadores de Insuficiência Renal Crônica, também foi assunto debatido, e o MPF se colocou à disposição para promover as medidas necessárias no intuito de que o poder público respeite os direitos assegurados na Constituição Federal, como o direito social à saúde e ao irrestrito acesso a atendimentos e tratamentos médicos condizentes com a dignidade humana. Arlen Santiago entregou ao Ministério Público, na oportunidade, pedido de análise da situação na qual se encontra a Tabela do Sistema Único de Saúde – SUS, no que se refere à sua recomposição, tendo em vista estar há mais de 10 anos sem reajuste. A luta do parlamentar é antiga e, de acordo com ele, “visa solucionar o problema do sucateamento e endividamento dos hospitais, remunerando-os com valores que, ao menos, cubram os seus custos”. O pedido foi recebido pelo Procurador Regional dos Direitos do Cidadão, Hélder Magno da Silva, que informou já estar com uma ação aberta no sentido de atendê-la, tendo em vista um ofício do deputado Arlen, já protocolado no Ministério Público desde o ano de 2015.

Outras cobranças feitas na audiência foram a implementação e o incremento de políticas públicas em prol dos portadores de Insuficiência Renal Crônica no Brasil, garantindo a universalidade, a equidade, a integralidade, o controle social e o acesso às diferentes modalidades de Terapia Renal Substitutiva (diálise peritoneal, hemodiálise e transplante) Informação prestada pela Associação Brasileira dos Centros de Diálise e Transplante – ABCDT, praticamente toda a demanda de pacientes necessitando de tratamento dialítico é suprida pelas clínicas privadas. Cerca de 90% de todos os pacientes do Brasil são atendidos em entidades não governamentais, portanto é preciso melhorar, e muito, o atendimento público, ao qual todo cidadão tem direito.

Com informações do portal Gazeta Norte Mineira[/vc_column_text][/vc_column][/vc_row]