Armando Abílio: PSB e PTB fecharam pacto por chapa com Cássio em 2010

PTB Notícias 18/03/2009, 11:06


O presidente do Diretório do Partido Trabalhista Brasileiro (PTB) da Paraíba, deputado federal Armando Abílio, surpreendeu o meio político paraibano na tarde da última segunda-feira (16) ao dizer, em entrevista à Rede Paraíba Sat, que já está pactuado um acordo entre PTB e PSB para que em 2010 o prefeito pessoense Ricardo Coutinho saia candidato ao Governo da Paraíba.

Tendo em sua chapa, como candidato ao Senado Federal, o ex-governador Cássio Cunha Lima (PSDB).

O parlamentar já defendeu esta tese em diversas oportunidades, mas é a primeira vez que ele declara que já existiria um acordo firmado entre as legendas.

Nesta eventual chapa, Armando Abílio diz que o PTB ficaria com a vaga de vice-governador, ficando a segunda vaga para o Senado Federal com um outro partido aliado, a ser definido no ano da disputa eleitoral.

Abílio, no entanto, antecipa que neste bloco não existiria espaço para o Democratas.

“O PTB ficaria incomodado com a presença do DEM nesta chapa.

Acredito portanto que esta segunda vaga para o Senado não seria destinada a Efraim Morais”, destacou, dizendo que as duas legendas estão em choque há muito tempo.

Em meio a entrevista do deputado federal, quem telefonou à Rede Paraíba Sat foi o suplente de senador Carlos Dunga, que também é do PTB, mas que defende a permanência da aliança entre PSDB e DEM em 2010.

Ele desmentiu que exista qualquer tipo de pacto na legenda petebista e apelou para que Armando colocasse as duas teses em votação.

“Não aceitamos que o PTB se posicione a partir de uma decisão unilateral de seu presidente.

Defendo que não haja mudança em nossas diretrizes e que o PTB continue aliado com o PSDB e com o DEM.

Que as duas teses sejam colocadas em discussão e que a maioria dos petebistas decidam o que é melhor para a legenda”, rebateu, dizendo também que Cássio em nenhum momento se declarou publicamente favorável a este projeto de aliança com Ricardo.

Em sua tréplica, Armando Abílio discordou que a tese defendida por ele tenha partido de uma decisão unilateral e disse que tudo foi discutido pelo diretório estadual do partido.

“Não tenho culpa se nem todo mundo participou ativamente das reuniões partidárias”, frisou.

Ele falou também que a posição do PTB em 2010 é uma questão interna do partido, e que não cabe à legenda consultar Cássio ou Efraim.

“Eles são de outros partidos e não irão de jeito nenhum se intrometer nas nossas questões internas.

Estas são questões que só o PTB pode decidir”, concluiu.

* Agência Trabalhista de Notícias com informações do Portal Paraíba 1