Armando elogia nova política industrial, mas diz que existe um porém

PTB Notícias 3/08/2011, 7:50


Após o lançamento da nova política industrial do Brasil, o senador Armando Monteiro Neto (PTB-PE) avaliou como positivo o plano Brasil Maior.

“A nova política industrial tem um alcance razoável e corresponde a um esforço do governo que temos de reconhecer.

Há limitações, mas acredito que poderemos ampliar quando houver um espaço fiscal maior”, afirmou o petebista, que acompanhou a solenidade no Palácio do Planalto.

Representante importante do setor industrial brasileiro, Armando disse que o plano está em sintonia com uma agenda defendida pelo setor produtivo brasileiro e responde a inúmeras pressões que a indústria do país vem sofrendo, principalmente na concorrência desigual com produtos importados.

“O Brasil Maior é a uma resposta do governo brasileiro a essa imensa pressão que a indústria manufatureira do Brasil vive em decorrência de vários fatores adversos, que vem reduzindo a participação da indústria brasileira no comércio internacional e no mercado doméstico”, disse.

O fundamental, ressalta Armando Monteiro, é reforçar a competitividade da produção nacional.

“O governo lança um plano com uma série de medidas que viabilizará a desoneração das exportações; o aprofundamento da agenda de desoneração dos investimentos; dá início ao processo – para alguns setores intensivos de mão de obra – de redução da folha de pagamento; estabelece uma política de compras governamentais, que oferece uma margem de preferência de até 25% nos processos de licitação para produtos e serviços nacionais.

Nele (o plano) há, ainda, medidas de reforço à defesa comercial do País; define novas atribuições e estruturas para o Inmetro, ou seja, que obriga o produto importado a atender a certificação técnica; renova os programas de financiamento e apoio ao investimento como o PSI; amplia o orçamento da Finep para apoio à inovação; além do fortalecimento do Conselho Nacional de Desenvolvimento Industrial, que tem uma representação do setor privado e passa a atuar na governança do Plano,” comentou.

Agência Trabalhista de Notícias (LL) com informações do Portal Pernambuco.

com