Armando Monteiro aponta estagnação do Brasil no comércio internacional

PTB Notícias 5/06/2013, 11:52


Em pronunciamento no plenário, na terça-feira (4/6/2013), o senador Armando Monteiro (PTB-PE) se disse preocupado com a política de comércio exterior do Brasil.

Ele apontou uma estagnação no Mercosul, que “travou” a expansão do país dentro do bloco e além dele.

O parlamentar destacou a posição dos países membros do Mercosul, que não favorece a realização de acordos econômicos bilaterais, caso da Argentina protecionista; da recém-chegada Venezuela, mais envolvida com problemas internos; do Uruguai, que pela dimensão da sua economia não tem maior destaque no comércio regional; e do Paraguai, que segue suspenso do bloco.

Para Armando Monteiro, o Mercosul dá “claros sinais de esgotamento”, principalmente se comparado à Aliança do Pacífico, que reúne México, Peru, Colômbia e Chile – quatro das economias mais dinâmicas da América Latina -, que selaram, em apenas um ano, uma área de livre comércio por meio da qual zeraram as tarifas de 90% dos produtos.

O senador ressaltou que, além do pedido de adesão da Costa Rica, outros sete países ingressaram como observadores da Aliança do Pacífico, por isso, segundo ele, é preciso “reinventar” o Mercosul, que está “engessado”.

Nesse sentido, Armando Monteiro vê como positiva a abertura de renegociação com o México, na aproximação do setor privado dos dois países para aumentar a exportação e melhorar a competitividade do Brasil no mercado mexicano, principalmente em manufaturas.

“É preciso que o país revigore a disposição de buscar novos parceiros no cenário internacional, sob pena de não conseguir se inserir nas cadeias globais de produção”, alertou.

Agência Trabalhista de Notícias (FM), com informações da Agência SenadoFoto: Moreira Mariz/Agência Senado