Armando Monteiro propõe agenda da cidadania e novo plano nacional

PTB Notícias 3/03/2011, 6:22


Em seu discurso inaugural no Plenário do Senado, nesta quarta-feira (02/03/2011), o senador Armando Monteiro (PTB-PE) propôs uma agenda da cidadania, entendida em seus pressupostos políticos e econômicos, capaz de gerar prosperidade econômica e inclusão social.

Ele enfatizou a necessidade de atendimento das questões fundamentais como saúde, educação, mobilidade urbana e segurança pública, com a participação ativa do cidadão.

Armando Monteiro também propôs a discussão de um novo plano de desenvolvimento regional.

– O Nordeste dispensa um tratamento paternalista e um discurso de comiseração.

O Nordeste não é parte do problema, mas da solução – disse ao propor o novo plano dentro de um novo paradigma que assegure uma inserção econômica dinâmica e integradora.

Agenda cidadã Na agenda cidadã, Armando Monteiro colocou a educação como prioridade a ser debatida pelos parlamentares.

O senador lembrou que embora o Brasil tenha obtido a universalização do ensino básico, “ainda carece de excelência”, ficando em posição secundária quando avaliado em seu desempenho por instituições internacionais qualificadas.

Da mesma forma, o senador exaltou a iniciativa da presidente Dilma Rousseff de implementar o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico (Pronatec) devido à necessidade de aproximar as instituições de ensino do mercado de trabalho.

Sugeriu ainda que as instituições de nível superior invistam em conteúdo adequado à sociedade do conhecimento.

Para o senador, é preciso investir na qualificação e valorização dos professores e em políticas de Estado com a participação da sociedade.

Os demais itens que elencou – segurança pública, saúde e mobilidade urbana – também deverão ser avaliados em conjunto com a sociedade.

Ajuste fiscal Avaliando a existência de um cenário de desajuste fiscal no horizonte próximo, Armando Monteiro concordou com a necessidade de corte no orçamento da União de R$ 50 bilhões feitos pela presidente Dilma Rousseff.

O senador chamou a atenção para o fato de que os gastos governamentais são gerados em nível mais intenso que os investimentos e os resultados da atividade econômica e apontou a necessidade de evolução para um regime fiscal mais saudável.

– O Brasil tem condições de crescer a taxas superiores a 5%.

E o Senado, como guardião da agenda do Estado, deve liderar e conduzir a agenda de debates – propôs o parlamentar.

Armando Monteiro disse ainda, em seu pronunciamento, que pretende priorizar projetos que consolidem o crescimento da economia pernambucana e ampliem o acesso a fontes de financiamento.

O senador falou ainda sobre a responsabilidade e a honra de representar Pernambuco que, no passado, foi representado por figuras políticas da dimensão de Miguel Arraes, Barbosa Lima Sobrinho, Fernando Lyra, Roberto Magalhães e Marco Maciel, entre outros.

fonte: Agência Senado