Armando relembra erros da administração Campos

PTB Notícias 24/05/2006, 18:17


24/05/2006Pré-candidato da Frente Trabalhista (PTB, PMN e PDT) a governador, o deputado federal Armando Monteiro Neto (PTB) não só condenou as recentes trocas de farpas entre PT e PSB, como reprovou a iniciativa do dirigente socialista, Milton Coelho, de fazer comparações entre as gestões de Eduardo Campos (PSB) e Humberto Costa (PT) nos ministérios da Ciência e Tecnologia e da Saúde, respectivamente.

“Imagina se Humberto começar a avaliar o desempenho de Eduardo Campos como secretário de Fazenda à época da gestão do ex-governador Miguel Arraes? Veja o quanto isso poderia ser inconveniente para o processo político”, provocou.

Na sua declaração, o petebista deixa claramente subentendido o fato de que foi na época de Eduardo Campos na Secretaria da Fazenda que aconteceu o caso dos precatórios.

Fato, esse, que até hoje é o calo do socialista e que, inclusive, levou Arraes a perder a reeleição, em 1998, por mais de um milhão de votos para o ex-governador Jarbas Vasconcelos (PMDB).

Armando Neto também contestou o argumento de Milton Coelho de que essa postura mais agressiva do PSB se trata de “demarcação de posição política”.

“Posição política se situa no campo doutrinário, do ideário e dos compromissos políticos.

Não se resvala para fazer avaliação de desempenho de companheiros nas funções que exerceram.

Quem pensar que está ganhando com isso, está cometendo um grande equívoco”, criticou.

Tal comportamento, segundo Armando Neto, reflete um momento de grande ansiedade para poder deslocar os concorrentes e se colocar no processo.

Disse, ainda, que o risco dessa postura é deslocar a oposição, colocando para o eleitorado a percepção de que o campo não se entende.

“Isso é ruim, é um jogo no qual só nós perdemos e quem ganha é o nosso adversário, o governador Mendonça Filho (PFL)”, avaliou Armando Neto, após participar da inauguração da primeira etapa da obra de ampliação e modernização do Centro de Formação Profissional do Cabo.

Por força da legislação eleitoral, Armando Neto deixará o cargo no próximo dia 31.

Nesta quarta-feira, 24, ele estará em Fortaleza, onde será homenageado pela Federação das Indústrias do Estado do Ceará (FIECE).

Andréa Cortez e Renata GondimFolha de Pernambuco (CE)