Arnaldo Faria de Sá: Brasil ainda tem muito o que melhorar na forma de tratar os idosos

Agência Trabalhista de Notícias - 10/10/2017, 7:57

Crédito: Leonardo Prado/Câmara dos Deputados

Imagem

Ao comentar a sessão solene realizada na Câmara dos Deputados para comemorar o Dia Nacional do Idoso (1º de outubro), o deputado Arnaldo Faria de Sá (PTB-SP) afirmou que essa parcela da população não tem muito o que celebrar no Brasil. O parlamentar cobrou melhor tratamento aos idosos em vários sentidos: em casa, nos cuidados à saúde e por parte do governo.

“Temos que tratar o idoso com decência, dignidade, carinho e respeito. É preciso lembrar que, pelo Estatuto do Idoso, quem abandona o idoso à própria sorte comete o mesmo crime de abandono material que os pais cometem para com os filhos”, destacou.

Na opinião do parlamentar, é necessário criar locais de longa permanência e de subsistência para idosos que não têm moradia, além de criar clínicas especializadas para terceira a idade com gerontologia e geriatria.

“O idoso precisa de um pouco de atenção. Não adianta só comemorar, tem que, efetivamente, dar essa atenção”, afirmou.

Reforma da Previdência

Segundo Faria de Sá, o governo esqueceu que o país deve o que conseguiu aos idosos e os enxerga como despesa e não como investimento. O deputado também reclamou da reforma da Previdência, que, de acordo com ele, tira direitos dos idosos.

“Querem acabar com medida assistencial da Lei Orgânica da Assistência Social (Loas), impedir a cumulatividade de pensão e aposentadoria, e outras coisas que afetam diretamente os idosos. Vamos brigar muito aqui no Congresso para impedir que isso aconteça”, garantiu.

Com informações da assessoria da Liderança do PTB na Câmara dos Deputados