Arnaldo Faria de Sá quer que Brasil reconheça genocídio armênio

PTB Notícias 30/04/2007, 8:34


O Deputado Arnaldo Faria de Sá (PTB-SP), em discurso no plenário da Câmara, revelou que, neste ano, o povo armênio rememora o transcurso do 92º aniversário do primeiro genocídio do século XX, praticado pelos turcos contra o seu povo.

“Com o pretexto da Primeira Guerra Mundial e aproveitando-se da situação crítica nesse período, sucessores do Sultão Abdul Hamid planejaram e puseram em execução, em 1915, um monstruoso plano de matança, com requintes de crueldade inimagináveis pela mente humana, para exterminar o povo armênio.

A matança em massa teve como marco o dia 24 de abril de 1915, quando foram executados em praça pública 800 intelectuais e líderes armênios, em Istambul, então capital da Turquia otomana, seguindo-se a deportação e execução em massa de população armênia, não sendo poupadas mulheres, crianças e idosos”, contou o Deputado petebista.

Segundo Arnaldo, os que sobreviveram refugiaram-se em países vizinhos e depois se espalharam pelo mundo afora, dando lugar à diáspora armênia, e entre elas a Comunidade Armênia do Brasil, com uma grande concentração no Estado de São Paulo.

“Há poucos dias o Parlamento de Buenos Aires e o Governo da Argentina reconheceram o genocídio armênio.

A Câmara Municipal de São Paulo, São José do Rio Preto e a Assembléia Legislativa do Estado de São Paulo já procederam a esse reconhecimento, e já é tempo de o Brasil também reconhecer o genocídio armênio pelo Congresso e Governo brasileiros.

Tomaremos a iniciativa de apresentar o anteprojeto e contamos com o precioso apoio, para a efetivação desse anseio, da numerosa Comunidade Armênia do Brasil, expressada no objetivo da representação brasileira do Conselho Nacional Armênio da América do Sul”, afirmou ele.

“No último domingo assistimos à missa na Igreja Nacional Armênia.

Depositamos a coroa de flores na estação armênia do metrô, homenagem que o povo brasileiro, em especial o paulista, presta a essa comunidade que passou por tantas injustiças.

Como o Parlamento argentino prestou solidariedade ao povo armênio, espero que o Parlamento brasileiro faça o mesmo.

Nossa solidariedade ao povo armênio”, finalizou Arnaldo Faria de Sá.

Agência Trabalhista de Notícias.