Arnon Bezerra quer regularizar transporte em pau de arara durante romarias

Agência Trabalhista de Notícias 20/11/2015, 17:12


O deputado Arnon Bezerra (PTB-CE) estuda formas para regularizar o transporte em caminhões pau de arara durante romarias religiosas, principalmente na região Nordeste.

O parlamentar reuniu-se com integrantes da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) para tratar do assunto.

“As romarias fazem parte do turismo religioso.

No Nordeste, existe uma questão muito particular, que é o meio de transporte utilizado pelos peregrinos: os caminhões pau de arara, que fazem parte da cultura e do sacrifício para demonstrar sua gratidão pela graça alcançada.

Apesar da falta de segurança, os romeiros avaliam que vale a pena correr o risco para mostrar a gratidão”, explicou Arnon.

O assunto vai ser discutido em audiência pública na Câmara, já marcada para fevereiro do próximo ano.

Arnon Bezerra está em contato com a assessoria jurídica da ANTT para definir se apresentará um projeto de lei permitindo o transporte em pau de arara apenas em épocas e condições pré-definidas.

Outra possibilidade é a ANTT publicar uma resolução regulamentando o tema.

“Queremos criar uma excepcionalidade, mas com regras.

Por exemplo, podemos realizar campanhas educativas, fixar o período em que poderá haver trânsito no pau de arara, oferecer adaptações para que tenha cinto de segurança e encosto de cabeça nos veículos”, disse.

Arnon Bezerra ressaltou o que o inspirou a tentar regularizar o pau de arara foi Juazeiro do Norte (CE).

Por causa da devoção a Padre Cícero, cerca de 2,5 milhões de romeiros visitam a cidade todos os anos.

No início de novembro, um acidente matou quatro pessoas que voltavam de uma romaria à cidade.

Eles viajavam em um caminhão pau de arara.

O deputado também quer regulamentar o procedimento para a abordagem de ônibus irregulares que transportam os romeiros.

Segundo Arnon, muitas vezes, as pessoas contratam um ônibus e não sabem que está irregular.

“Quando os ônibus são parados para fiscalização nas rodovias, os romeiros acabam ficando em qualquer lugar da estrada, em cidades desconhecidas, são expostas ao sol, à chuva, ao desconforto e à humilhação”, contou.

O trabalhista sugere que, quando for encontrada qualquer irregularidade no veículo fiscalizado, a documentação seja apreendida e o motorista receba um salvo-conduto para chegar até o destino final da romaria.

No retorno para a origem, terá um prazo de poucos dias para regularizar a documentação, pagando as multas devidas.

“Fazendo isso, estaremos, cada vez mais, aperfeiçoando e mostrando a importância de se andar direito, com segurança”, declarou.

Agência Trabalhista de Notícias (FM), com informações da assessoria da Liderança do PTB na Câmara dos DeputadosFoto: João Ricardo/Liderança do PTB na Câmara