ARTIGO | Graciela Nienov: Aos aposentados, nossas homenagens

Agência Trabalhista de Notícias 24/01/2020, 8:53


Imagem Crédito: Felipe Menezes/PTB Nacional

Neste dia 24 de janeiro celebramos o Dia Nacional dos Aposentados, data criada para homenagear e para saudarmos os que já trabalharam por décadas e que hoje buscam usufruir de um merecido descanso. Infelizmente, no Brasil, para a grande maioria dos aposentados, este descanso não tem sido motivo de tranquilidade, graças às enormes dificuldades impostas a quem já deixou de trabalhar. A maioria dos aposentados no nosso País vive uma realidade em que a recompensa do esforço de décadas não chega nunca, considerando que o rendimento das pensões mal é capaz de cobrir os custos básicos com medicamentos, alimentação e moradia.

Tenho profundo respeito e admiração por todos os aposentados e aposentadas do nosso imenso País. Sabemos que a ação do tempo impõe rugas e maiores dificuldades a todos, mas também nos garante maior sabedoria e paciência. A partir da consciência dessa realidade, precisamos unir os esforços de jovens e idosos para encontrarmos soluções que garantam uma vida longa, saudável, produtiva e justa para todos. Como sempre afirma o nosso presidente Roberto Jefferson, o Brasil possui uma grande dívida com seus aposentados, e é para que possamos resgatar as perdas históricas dos pensionistas que todos nós que atuamos na política devemos nos mobilizar.

E é preciso salientar que não basta apenas buscarmos avanços jurídicos e sociais de proteção ao idoso. É necessário entendermos que o envelhecimento populacional vem se tornando cada vez mais acentuado, e essa situação, por si só, exige que sejam aprofundadas transformações na sociedade, com políticas mais adequadas a esta realidade. Esta transformação só acontecerá se houver uma perfeita comunhão entre poder público, legisladores, partidos políticos, movimentos sociais e a própria população, com todos trabalhando juntos para implementar mudanças que verdadeiramente beneficiem os aposentados e aposentadas.

Sabemos que não é fácil pensar em medidas a médio e longo prazo diante desta realidade de um envelhecimento que aumenta cada vez mais. Relatório da organização não governamental internacional Oxfam, apresentado neste mês de janeiro no Fórum Econômico Mundial, em Davos, na Suíça, afirmou que problemas como a desigualdade social deve se agravar rapidamente no mundo à medida que a população mundial envelhece. E os aposentados são fortemente afetados pelo aumento da desigualdade.

O relatório da Oxfam estima que 2,3 bilhões de pessoas, entre idosos e crianças, vão precisar de cuidado em 2030, um aumento de 200 milhões desde 2015. De acordo com a pesquisa, no Brasil, em 2050, serão cerca de 77 milhões de pessoas que vão depender de cuidado, o que representa pouco mais de 1/3 da população estimada entre idosos e crianças, segundo dados do IBGE.

Ou seja, se o mundo hoje já enfrenta uma crise de prestação de cuidados devido aos impactos do envelhecimento da população, os cortes de recursos em serviços públicos e sistemas de proteção social ameaçam piorar ainda mais a situação dos aposentados e idosos. Diante desta realidade, é urgente que se desenvolvam políticas de estado que melhorem a qualidade de vida de nossos aposentados e aposentadas. Até porque o jovem de hoje será o aposentado de amanhã, e se não pensarmos em como garantir um envelhecimento saudável para todos, que futuro teremos?

Apesar de lastimarmos a falta de uma política nacional de cuidado aos idosos, não podemos deixar de festejar e parabenizar os nossos valorosos aposentados brasileiros. Esta data é, sim, importante não apenas para homenagear a todos aposentados e aposentadas, mas também refletirmos sobre o que precisamos fazer para reverter este quadro tão desfavorável a quem tanto já fez pelo nosso País.

Parabéns aposentados e aposentadas pelo seu dia.

* Graciela Nienov é presidente nacional do PTB Mulher