ARTIGO| Graciela Nienov: Voto feminino no Brasil, queremos votar e ser votadas!

PTB Notícias 24/02/2021, 12:38


Imagem

O dia 24 de fevereiro é uma data especial para todas as mulheres brasileiras. Em 1932, no dia 24 de fevereiro, por meio do Decreto nº 21.076, o presidente Getúlio Vargas, o fundador do nosso PTB, fez novamente história ao garantir o direito de voto às mulheres. O presidente Getúlio foi sensível a um clamor que já crescia na sociedade da época para que a mulher pudesse ter esse direito, que igualmente era reivindicado em diversas nações do mundo ocidental. Graças ao decreto de Getúlio, no ano seguinte as brasileiras já puderam participar da escolha dos seus candidatos para a Assembleia Constituinte em todo o país, e com a promulgação da nova Carta Magna de 1934, o direito feminino ao voto foi devidamente regulamentado.

Nesta ocasião em que comemoramos os 89 anos da conquista do voto feminino no Brasil, precisamos fazer uma reflexão sobre a necessidade, a importância e a urgência de seguirmos em uma luta aguerrida e incansável pela conquista e garantia dos direitos da mulher. E não só pelo direito de participar ativamente da vida política, mas também profissional e social, mas, principalmente, que possamos ser respeitadas em uma convivência pacífica, isonômica e igualitária com os homens.

Apesar de ainda sermos minoria no Congresso Nacional e essa situação se repetir no Executivo e no Judiciário, as mulheres estão na luta e trabalhando juntas para reverter esta situação. E se a participação da mulher na política ainda está longe do ideal no Congresso, na Esplanada dos Ministérios e nas Cortes de Justiça, que dirá nos nossos municípios e Estados, que carecem de muito mais mulheres em atividade, tanto na formulação como na condução das políticas e na administração pública.

Infelizmente, depois de 89 anos que Getúlio Vargas assinou um decreto histórico que garantiu a conquista do voto para as mulheres, a exclusão feminina nos processos eleitorais ainda é evidente. As mulheres conquistaram o direito a votar e posteriormente serem votadas, mas continuam lutando pelo direito de serem escolhidas pelo eleitor. E isso apesar de diversas pesquisas de opinião mostrarem que o eleitorado brasileiro considera as mulheres preparadas para assumir cargos públicos. Mesmo após a implantação da cota de 30% obrigatória de candidaturas femininas, as mulheres enfrentam muitas dificuldades para ingressar de maneira efetiva nas disputas eleitorais. A grande maioria dos partidos impõe uma série de exigências que acabam por afunilar as chances de uma mulher ser uma candidata bem sucedida.

Nós, do PTB, estamos lutando para mudar esta realidade. Com apoio incondicional do nosso presidente Roberto Jefferson, o maior incentivador que poderíamos ter, estamos abrindo cada vez mais espaços na estrutura partidária nacional e nos estados e municípios para a participação das mulheres. Na ampla maioria dos partidos as mulheres são as operárias que ajudam a eleger os homens, mas são alijadas dos postos de direção. No PTB, Roberto Jefferson dá vez, voz e voto para as mulheres, e além delas atuarem como “formiguinhas” operárias nas bases, ainda são chamadas a participar ativamente na construção do partido, na definição das estratégias eleitorais e na montagem das candidaturas.

E assim seguiremos atuando, buscando garantir os direitos das mulheres, sem perder de vista que a nossa luta é por conseguirmos estabelecer um perfeito entendimento entre homens e mulheres. Aqui no PTB buscamos trabalhar em um ambiente de absoluta cooperação entre as pessoas de boa vontade, homens e mulheres.

Desta forma e com a liderança firme do nosso comandante Roberto Jefferson, daremos a nossa contribuição para que mais e mais mulheres possam ocupam democraticamente, e por meio do voto, mais cadeiras no Congresso, mais prefeituras, mais assentos nas câmaras municipais e assembleias legislativas, mais postos na administração pública, mais espaços no Judiciário. Estamos trabalhando para honrar o legado de Getúlio Vargas e batalhando para que a mulher brasileira, tão trabalhadora e guerreira, tenha assegurado o seu espaço, tal como foi imaginado há 89 anos, quando da edição do histórico decreto que garantiu o voto feminino.

Por isso, homens e mulheres, vamos juntos construir a sociedade do futuro em que os direitos sejam absolutamente iguais. Vamos trabalhar por um Brasil em que homens e mulheres votam de forma consciente, e no qual as mulheres são, juntamente com os homens, protagonistas do futuro do nosso grandioso Brasil.

Viva Getúlio Vargas! Viva a conquista do voto feminino!