Em ato na frente do STF, os petebistas questionam: “Por que Roberto Jefferson está preso?”

PTB Notícias 13/08/2022, 16:05


Imagem

Dezenas de petebistas compareceram hoje (13/08) à Praça dos Três Poderes de Brasília, em frente ao STF, em um ato de repúdio pela prisão do presidente de Honra do partido, Roberto Jefferson. A prisão de Jefferson por suas opiniões completou um ano, e no ato deste sábado, os apoiadores do presidente de honra do PTB lançaram o questionamento ao STF, ao Poder Judiciário e a todo o Brasil: “Por que Roberto Jefferson está preso?”.

O ato na capital do país ocorreu 12 dias depois de o PTB anunciar oficialmente o nome de Roberto Jefferson na disputa pelo Palácio do Planalto. Os petebistas presentes à Praça dos Três Poderes reforçaram a posição de que Roberto Jefferson é um preso político, e de que a sua prisão viola o direito à liberdade de expressão, garantido pela Constituição Brasileira.

O padre Kelmon, candidato do PTB a vice-presidente da República na chapa encabeçada por Jefferson, leu um texto em frente ao Supremo Tribunal Federal, no qual reforçou os questionamentos sobre a prisão do petebista. Padre Kelmon fez questionamentos sobre a falta de acesso dos advogados de Jefferson aos documentos que compõem o inquérito, e disse estranhar o fato de o STF, que deveria ser o guardião da Constituição e casa de leis que visam manter a paz, colocar grades que impedem o acesso da população e um carro de polícia, chamada Polícia Judicial.

“Está tudo ao contrário, irmãos. Aquela casa ali em frente deveria ser o palácio guardião da Constituição, das leis que regem nossa sociedade. Mas lhes pergunto: por que uma viatura policial em sua entrada? Por que essas grades impedindo que o povo se aproxime do símbolo da justiça, do símbolo da paz? Por que uma instituição que deveria resguardar as leis, leis que resguardam a paz da sociedade, passou a agir como polícia? Irmãos, nossas leis são boas, mas os homens são falhos”, disse o Padre Kelmon.

O religioso, que lidera atualmente o Movimento Cristão Conservador do PTB (MCC), disse que Roberto Jefferson é um homem de coragem que incomoda a muitas pessoas por defender a liberdade dos brasileiros, e defender os valores cristãos e de família. Padre Kelmon afirmou ainda que em um País onde tudo parece estar ao contrário, a população precisa cada vez mais de líderes confiáveis, valorosos, corajosos, como Roberto Jefferson.

“Como se pode defender a democracia prendendo e calando quem apenas pensa diferente? Como defender a lisura impedindo a conferência dos desígnios do povo? Como defender a igualdade ampliando as diferenças? Como falar de liberdade perseguindo quem discorda? Diante dessas indagações, é preciso cobrar do Judiciário: por que prenderam Roberto Jefferson, que apenas exercia a sua liberdade de expressão?”, questionou Padre Kelmon.

Ao encerrar, o candidato do PTB a vice-presidente reforçou o questionamento feito por todos os petebistas: “Por que querem calar Roberto Jefferson?”. E para concluir, rogou a Deus que ilumine a alma dos ministros do STF, para que tomem a decisão correta e libertem em definitivo o Presidente de Honra do PTB.

Antes de seguir para a Praça dos Três Poderes, o grupo de apoiadores se reuniu inicialmente na frente da Catedral de Brasília, onde fizeram orações pedindo pela democracia e a liberdade do Brasil. Em seguida, os participantes se dirigiram até o Supremo em uma breve carreata. Ao final do evento, o público presente estendeu uma faixa em frente ao prédio do STF com os dizeres: “# Liberdade para Roberto Jefferson”.

O presidente do Movimento Cristão Conservador, pastor Manoel Ferreira Junior, veio a Brasília participar do evento e pediu liberdade ao presidente de honra do PTB. Cumprindo prisão domiciliar, Jefferson não participou do evento.