Augusto César é o vice em Pernambuco

PTB Notícias 21/06/2006, 18:24


O deputado federal Armando Monteiro Neto (PTB-PE) deve confirmar o nome do deputado Augusto César (PTB-PE) na vice do pré-candidato do PT ao Governo, Humberto Costa, até sexta-feira.

Eles se reúnem, amanhã, após o jogo do Brasil, para acertar detalhes do anúncio.

O trabalhista afirmou que tomou a decisão baseado em dois critérios: o vice ser do PTB e possuir densidade eleitoral comprovada no Interior.

“Um sertanejo na vice de Humberto é uma homenagem ao interior”, avaliou Monteiro Neto, que retorna hoje, à noite, de Brasília.

A decisão do anúncio cai em boa hora, uma vez que a coordenação de campanha de Humberto Costa defende que ele chegue a Brasília, sábado, para a convenção nacional do partido, com a chapa majoritária fechada.

Enquanto isso, o rival do petista no campo das oposições, Eduardo Campos (PSB), tenta contornar os embaraços com seus aliados.

“É um convite muito honroso e a receptividade das minhas bases foi muito boa”, comentou Augusto César, que promete levar o apoio de mais de 30 municípios.

No entanto, adversários insistem em minimizar a indicação, alegando que o deputado, cujo reduto eleitoral é no Sertão, não agregará valor à chapa do petista.

O nome pode, ainda, gerar mais desgaste entre o PT e o PSB, uma vez que Augusto tem uma antiga rivalidade, em Serra Talhada, com o deputado Inocêncio Oliveira (PL), atual cabo-eleitoral de Eduardo.

Na segunda-feira passada, Augusto César já era chamado pelo prefeito João Paulo (PT) de “meu candidato a vice”.

Apesar das evidências, petistas e trabalhistas não quiseram confirmar a indicação, ontem.

“Deixei esse assunto (da vice) com Armando”, despistou Humberto.

Além de ocupar a vice, o trabalhista tentará fazer do seu filho, o farmacêutico Augusto César de Queiroz Carvalho, 26 anos, seu sucessor, pelo PTB – desagradando alguns correligionários, que pleiteavam suas bases.

Monteiro Neto disse que o assunto já foi superado.

“Não dá para reivindicar algo que não existe na prática.

Não se transfere voto em estadual”, frisou.

Cecília RamosJornal Folha de Pernambuco