Auricchio Júnior afirma que vai ajudar José Serra, em São Caetano do Sul

PTB Notícias 12/04/2010, 11:48


Há poucos meses das eleições, o prefeito de São Caetano, José Auricchio Jr.

, recebeu o BOM DIA e comentou sobre sua colaboração na candidatura do ex-governador José Serra para a Presidência.

Ele ainda esclareceu algumas questões do município, como a recém-implantada Lei Cidade Limpa.

Confira os principais trechos da entrevista: BOM DIA – Você já prepara um sucessor para o comando do município? A Regina Maura (assessora especial de Coordenação Social) é um nome cotado?José Auricchio Jr – Não, pois não é época para pensar nisso.

A gente tem projetos, mas ainda não é hora de abrir essa discussão.

Isso está completamente fora de pauta.

BD – Você já traça planos para o seu futuro político após 2012?Auricchio – Quero continuar no setor público e, eventualmente, disputar algum cargo no futuro, mas ainda não há convites, pois tenho dois anos até o final do mandato.

Depois das eleições no segundo semestre vamos começar a discutir sucessão municipal e meu futuro político.

BD – Já definiu os candidatos da região que pretende apoiar nas eleições?Auricchio – Obviamente que vou trabalhar pelo meu partido (PTB).

Ainda temos alguns dados para a gente fechar, mas é possível que eu apoie alguns candidatos da região.

O William Dib é um deles e o Frank Aguiar, por ser do meu partido, também.

BD – Você é tido como um dos grandes colaboradores para a campanha de José Serra na região.

Pretende se afastar da prefeitura para participar das eleições?Auricchio – Sou um dos colaboradores da campanha no ABCD.

Se for necessário, vou me afastar, mas ainda não discuti o assunto.

Vou conversar com os articuladores da campanha e, se for possível e necessário, eu me afasto.

Essa é uma prática que já aconteceu em 2006, com a candidatura do (Geraldo) Alckmin.

Se isso ocorrer, eu me desligo da Prefeitura por um período, que pode ser um mês ou até mais tempo, mas vai depender de quanto será possível.

BD – Por que a Prefeitura decidiu fazer uma concessão com o DAE (Departamento de Água e Esgoto)?Auricchio – Fizemos um estudo de viabilidade, que foi aprovado pela Câmara, mas isso não vai mudar nada para a população.

Teremos a garantia de um serviço de qualidade, com fiscalização permanente, além de menor tarifa.

Decidimos tomar essa decisão por que as concessões são são experiências viáveis que nos permitem alavancar economicamente outras áreas da administração pública.

BD – O que levou a criação do Cidade Limpa? Auricchio – A população reclamava muito da poluição visual.

Pelo padrão de controle urbano que queremos na cidade, o combate à poluição visual é fundamental.

A gente entende as reclamações que existem, mas quando se faz uma lei é preciso atingir a maioria.

Ela vai beneficiar a todos, sobretudo o cidadão comum, com o excesso de informação visual que existia.

A gente teve um período de adaptação (100 dias), mas a ideia não é multar o comerciante.

As notificações que ocorreram até agora foram por falta de informação.

BD – O que a administração de São Caetano tem feito para minimizar o problema das enchentes?Auricchio – Temos um programa permanente.

Começamos a obra para a construção de galerias.

A macrodrenagem é composta por obras do Estado, como os piscinões.

Nos próximos dias vai ser liberada a licitação do piscinão Jaboticabal, que estará entre os dois maiores do estado.

Ele vai minimizar entre 30% e 40% das enchentes e estaremos próximo de resolver o problema.

Já a limpeza de galerias e piscinões não pararam.

Além disso estamos com uma galeria em ritmo de construção acelerado.

BD – A construção de parque nos terrenos Matarazzo continua de pé?Auricchio – A Cetesb mostra boa vontade em trabalhar nos nossos 20 mil m² (a área total possui 300 mil m²).

Parte do local tem um foco de contaminação, mas onde será construído o local fica longe da área contaminada.

Os laudos que tínhamos mostravam contaminação leve; os novos estudos estão confirmando esse fato.

A Cetesb possui um laudo em que diz que podemos começar algumas demolições “assistidas”, com mecanismos próprios e com cuidado.

Já estamos contratando empresas especializadas nesse tipo de atividade.

BD – Como o município se prepara para o “boom” imobiliário que vem acontecendo, sobretudo na questão do trânsito?Auricchio – Trata-se de um problema metropolitano.

A gente faz uma série de ações complementares, trabalhamos para melhorar a fluidez do trânsito, com semáforos eletrônicos, controle de tráfego, aumento no número de agentes e fiscalização do trânsito.

Além disso, aumentaremos o número de vagas no estacionamento rotativo, que é uma ferramenta que facilita a vida do usuário e inibe filas duplas.

Agência Trabalhista de Notícias com informações da Rede Bom Dia