Bancários pedem aprovação de projeto da vereadora Maria Luiza

PTB Notícias 12/02/2008, 8:14


Proposta da vereadora foi aprovada em dezembro de 2007 .

Atendendo proposição da vereadora petebista Maria Luiza (PTB), a presidenta em exercício da Câmara Municipal de Porto Alegre, vereadora Clênia Maranhão (PPS), recebeu na manhã desta segunda-feira (11/2) representantes do Sindicato dos Bancários de Porto Alegre e Região (SindBancários).

No encontro foi discutido projeto de lei que exige a utilização de vidros à prova de bala nas agências bancárias da Capital, proposta, de autoria da vereadora Maria Luiza, que foi aprovada em 20 de dezembro de 2007 pelo plenário da Câmara Municipal, e torna obrigatória, nas fachadas externas e divisórias internas das agências e dos postos de serviços bancários, no município de Porto Alegre, a instalação de vidros laminados resistentes a impactos e disparos de armas de fogo.

No encontro, o Sindicato solicitou que o processo seja agilizado.

A petebista Maria Luiza explicou que a dificuldade na redação de uma emenda resultou na demora da saída do projeto da Câmara e, conseqüentemente, no atraso da sanção do prefeito José Fogaça.

“Temos que trabalhar na prevenção, e não esperar que as coisas aconteçam”, declarou a vereadora.

“Nosso papel na Câmara é zelar pela segurança, não só de transeuntes, mas também dos funcionários”.

O presidente em exercício do SindBancários, Fábio Alves, frisou que o objetivo do Sindicato é conseguir apoio político para acelerar o processo de implementação da lei, antes que sejam lançados os balanços de 2007.

Antônio Pirotti, da diretoria executiva do SindBancários, acentuou que o Sindicato fez com que Porto Alegre fosse precursora nas questões de legislação.

Porém, para que os bancos adotem a lei, é importante que seja feito um debate.

“Todas as legislações que fazemos com essa Casa, os bancos questionam.

Temos uma legislação e um sistema que não cumpre a lei”, criticou, reforçando ser a fiscalização fundamental.

Clênia afirmou ser este um assunto de extrema relevância.

“No momento em que a vereadora trouxe essa questão para o plenário, fiquei surpresa porque não tinha a informação de os vidros não serem blindados.

É tão absurdo, que já deveria ter sido feito”.

A vereadora também explicou que o papel da Câmara não é apenas de aprovar as leis, mas ser um agente político de pressão para o cumprimento delas.

“O presidente e a Mesa Diretora devem fazer a articulação entre os dois poderes, e a Casa precisa, nos próximos dias, se apropriar dessa temática”.

O projeto deve sair essa semana da Câmara de Vereadores e logo ser sancionado pelo prefeito.

Depois, os bancos terão 180 dias para se adequar.

fonte: site do PTB-RS