Barbosa afirma que a voz da fiscalização tem que ser dos jovens

PTB Notícias 28/07/2013, 17:00


Presente em todas as convenções nacionais da Juventude do PTB, o secretário Jurídico da Executiva Nacional do PTB, Luiz Francisco Correa Barbosa, convidado para o debate sobre os “10 anos de governo Lula/Dilma.

Para onde vai o Brasil, para onde vai o PTB?”, na convenção nacional da JPTB no sábado (27/7/2013), em Brasília, afirmou que o partido tem que assumir uma identidade.

Segundo Barbosa, a sigla tem que se perguntar “quem é o PTB e o que quer”.

Participaram da mesa redonda Honésio Ferreira (secretário de Comunicação do PTB), Adriano Stefanni (presidente nacional da JPTB), Anderson Xavier (secretário de Mobilização Nacional do PTB) e Carlos Siegle, o Nenê, e Denisson Costa, respectivamente primeiro e segundo-secretário de Mobilização Nacional do PTB.

“O que se quer é que vocês, tendo sólida discussão e propostas realizáveis, sejam arautos do programa do partido em suas posições.

Porque nós temos que nos organizar também, porque o presidente nacional da Juventude é membro da Executiva Nacional do PTB.

A presidente nacional do PTB Mulher [Cristiane Brasil] também.

Vocês têm voz e vez na Executiva do PTB.

Agora tem que exercitar isso, ‘vaquinha de presépio’ não precisa.

Direções regionais da JPTB ligadas a certos parlamentares, que não se expandem, também não precisam.

Parlamentar não é Deus e nem santo, e é fiscalizado já a partir da sua casa”, disse Barbosa.

O secretário frisou que a voz da fiscalização tem que ser dos jovens, porque é “para isso que vocês estão aqui nessa convenção nacional, não é para passear em Brasília”.

O dirigente jurídico do PTB ressaltou que é essa voz que quer ouvir da juventude, que, diz ele, vem acompanhando desde a primeira convenção.

Sobre o tema do debate, Barbosa falou a respeito de assuntos que envolvem a área da saúde, infraestrutura, orçamento, contratação de médicos estrangeiros e reforma política, por exemplo, além das manifestações e protestos que ocorreram no país nos últimos meses.

Após a palestra, já na intervenção, membros e representantes da JPTB questionaram Barbosa sobre as pautas apresentadas por ele.

Além disso, ressaltaram ainda a relevância do momento ímpar, de poderem estar discutindo, em uma convenção nacional do movimento, propostas e apresentando ideias claras e coesas para responder os anseios da sociedade brasileira e, consequentemente, visando o fortalecimento do partido num todo.

Agência Trabalhista de Notícias, por Felipe Menezes e Nathalia MazzoccanteFoto: J.

R Neto