Benito diz que hospital pode ser administrado por Parceria Público-Privada

PTB Notícias 19/10/2011, 8:02


O Governo do Estado do Rio Grande do Norte estuda a possibilidade do hospital que será construído na zona Oeste de Natal ser administrado por uma empresa ou um consórcio, através de uma Parceria Público-Privada (PPP).

A informação foi confirmada ontem pelo titular da Secretaria Estadual de Desenvolvimento Econômico (Sedec), Benito Gama (PTB), em entrevista à Tribuna do Norte.

Caso o Executivo Estadual opte por esta modalidade de administração, contará com o apoio e financiamento do International Finance Corporation (IFC), que é um braço do Banco Mundial para financiamento de Parcerias Público-Privadas no mundo.

A Bahia foi o Estado pioneiro em território nacional e o segundo lugar no mundo – a primeira PPP na área da saúde foi assinada em Portugal em 2008 – a contratar uma empresa privada para administrar um complexo hospitalar a partir de um financiamento do IFC.

“Esta é mais uma possibilidade que o Governo do Estado dispõe para analisar”, disse o secretário Benito Gama.

Para ele, uma obra ou financiamento com o selo do Banco Mundial, abre novas oportunidades de investimento para qualquer governo.

A possível criação da PPP na área de Saúde no Rio Grande do Norte foi discutida durante a visita da governadora Rosalba Ciarlini aos Estados Unidos, cuja viagem se encerrou na segunda-feira passada.

Os representantes do IFC apresentaram à comitiva do Estado, além de executivos de diversas empresas e bancos brasileiros e internacionais presentes num almoço realizado em Nova Iorque, o interesse de desenvolver, no Rio Grande do Norte, um projeto similar ao desenvolvido pelo governo baiano.

Inicialmente, os recursos para a construção do complexo hospitalar na zona Oeste serão garantidos através do leilão da área do Estádio Juvenal Lamartine, no Tirol.

A afirmação foi feita pela governadora Rosalba Ciarlini em momentos diferentes, sendo o último deles ontem, durante visita à demolição do Ginásio Humberto Nesi (Machadinho).

A data do certame, porém, ainda não foi definida pelo Executivo Estadual.

Assim como os critérios para participação do leilão, lance mínimo, garantias financeiras e forma de pagamento.

De acordo com levantamento do valor do terreno feito por imobiliárias que revendem imóveis e terrenos em Natal, a área do Juvenal Lamartine custaria hoje ao comprador, cerca de R$ 20 milhões.

Além do novo hospital, o Governo do Estado pretende construir, com o dinheiro arrecadado com o leilão, um estádio com capacidade para quatro mil pessoas na zona Norte.

De acordo com Rosalba Ciarlini, o empreendimento custará R$ 3 milhões.

O saldo, será utilizado no complexo hospitalar.

“Será um empreendimento grandioso”, afirmou a governadora em entrevista concedida à TRIBUNA DO NORTE enquanto estava em Nova Iorque, sábado passado.

Sobre o custo das obras, quantidade de leitos e detalhamento do tipo de atendimento da unidade hospitalar a ser construída, o titular da Sedec, Benito Gama, afirmou que o Estado ainda não dispõe destas informações.

Agência Trabalhista de Notícias (LL), com informações do Portal Tribuna do Norte