Benito Gama e Chico Galindo prestigiam filiação de Serys

PTB Notícias 24/08/2013, 7:28


O presidente nacional do PTB, Benito Gama, afirmou na noite desta sexta-feira (23/08), no auditório do Hotel Paiaugás, que o processo de convencimento para filiação da ex-senadora Serys Slhessarenko no partido foi difícil, principalmente pelo excessivo assédio de outras legendas à ex-parlamentar de Mato Grosso.

“A Serys foi um peixe difícil de ser pescado”, brincou ele, pouco antes de finalmente ela assinar a ficha petebista de forma oficial.

Posse de Serly Marcondes e Sebastião Farias como desembargadores do TJMT é prestigiadaA ex-petista, desfilada da legenda há menos de um ano, entra no PTB com status de pré-candidata ao Senado.

“O meu trabalho vai ser para que Serys seja candidata e eleita senadora da República”, sacramentou o ex-prefeito de Cuiabá e presente regional da legenda, Chico Galindo.

Slhessarenko afirma que a priori cogitava filiar-se em uma nova legenda.

“Cheguei até a me reunir com o Roberto Freire sobre o MD”, admitiu.

No entanto, Serys revela que também estudou entrar para a Rede, projeto político da presidenciável Marina Silva, optou por escolher uma legenda que já existe e que pudesse deixar o seu sonho de voltar ao Senado mais viável.

“Escolhi o PTB porque ele colocou as cartas na mesa”, declarou a ex-senadora, última a discursar no seu ato de filiação.

Em recente entrevista ao Olhar Direto, antes da filiação, Serys confidenciou que não optou pelo PDT pela grande possibilidade de o senador Pedro Taques ser candidato ao governo, o que inviabilizaria na composição do arco de alianças que a legenda também encabeçasse a disputa para o Senado.

O senador Pedro Taques (PDT) e o prefeito de Cuiabá, Mauro Mendes (PSB), também prestigiaram o evento na noite desta sexta-feira.

Em tom de brincadeira, o congressista afirmou ter “inveja” do PTB por ter conseguido filiar a primeira senadora eleita em Mato Grosso mas parabenizou a legenda e a nova agremiada.

“Estou aqui num misto de tristeza e alegria, porque a Serys me traiu”, brincou.

O pedetista também não deixou de lembrar a saída conturbada de Slhessarenko do PT no ano passado, às vésperas da eleição para prefeito de Cuiabá no segundo turno.

“Ela foi perseguida por ser uma mulher forte, que não se dobra, que não tem dono”, completou.

Candidatíssima ao SenadoSe Galindo escancarou a intenção de Serys disputar o Senado mais uma vez, o ex-diretor geral do Departamento Nacional de Infraestrutura e Transportes (Dnit) Luiz Antonio Pagot já adiantou que trabalhará na logística de campanha.

“Vamos arrumar a estrutura que você precisar, não se preocupe, o partido fará todo o esforço para que Serys seja nossa senadora”, afirmou, ao adiantar que já tem rodado os municípios e ouvido de apoiadores a intenção de colaborar com o projeto político, seja com dinheiro, carro, combustível etc.

* Agência Trabalhista de Notícias (LL), com informações do portal Olhar Direto