Benito Gama participa de homenagem ao fundador do PTB em São Borja (RS)

PTB Notícias 19/04/2012, 14:29


[vc_row][vc_column][vc_column_text]Na homenagem prestada pelo Partido Trabalhista Brasileiro (PTB) ao seu fundador, o ex-presidente da República Getúlio Vargas, o presidente da Fundação Instituto Getúlio Vargas (FIGV), Benito Gama, afirmou nesta quinta-feira (19) que “respeitar e reverenciar o passado no partido como na vida é a melhor maneira de você ter raízes, para trabalhar no presente e planejar o futuro”.

Com o intuito de reverenciar a memória e o legado deixado pelo seu patrono, que completaria os 130 anos de nascimento se estivesse vivo, a solenidade foi realizada no mausoléu de Vargas, na praça XV de Novembro, em São Borja (RS).

“E o respeito e o que o partido tem pelo seu fundador, Getúlio Vargas, é muito forte. Essa iniciativa de anualmente de estar em São Borja é uma referência importante, para que nós sempre possamos lembrar do nosso passado partidário, um passado de glórias, de estruturação social do país. Foi o primeiro grande presidente reformista no Brasil, felizmente foi do PTB, e é com ele que nos inspiramos para continuar essa luta no presente e no futuro também”, disse Benito.

Presidente da FIGV, órgão do PTB, Benito contou ainda a doutrina política, inclusive que a Fundação é responsável pela educação política pelo aquilo do legado de Getúlio e do partido, isso faz com que nós possamos trabalhar agora numa formação futura do partido. Ele diz que essa geração de novos políticos é uma preocupação do presidente nacional do PTB, Roberto Jefferson, e da Fundação, de criar uma geração de novos políticos.

“Nosso objetivo é chegar a todos municípios do país com nossos deputados federais, senadores, prefeitos, vereadores e com entidades privadas socialmente para que possamos levar realmente essa doutrina, sobretudo ao trabalhador e as pessoas que ajudam a construir o país, e a nossa luta em que essa legislação e esse legado institucional deixado por Getúlio Vargas seja mantido o máximo possível, porque passaram-se 60 anos e ele continua atual como fosse criado hoje”, enfatizou.

Benito Gama acrescentou que além da parte social tem a infraestrutura econômica também, que é a Siderúrgica, a criação do BNDES, da Petrobras, do Banco do Nordeste e da Sudene, por exemplo. “Tudo isso são instrumentos criados pelo PTB há 60 anos e que nós temos agora a obrigação, e mais do que isso, a responsabilidade de melhorar a cada dia”, cobrou.

Sobre a geração de novos políticos, Benito Gama, no entanto, avaliou que a economia no Brasil está construindo avanços, mas a política ainda não. Para o petebista, que é ex-deputado federal, ainda é preciso se esforçar muito para que a geração de políticos que vai “cuidar” do Brasil nos próximos 30 anos seja formada. Benito prevê nisso o fortalecimento da instituição Congresso Nacional. Isso porque, diz, todos os grandes políticos do Brasil foram forjados no Congresso, que é “a grande universidade política do Brasil”.

“E eu vejo que nos últimos anos o Congresso perdeu muito da sua função política e na formação de lideranças. O Congresso podia ser mais ativo. O que foi feito na reforma econômica precisa ser feito na reforma política. E eu vejo uma grande responsabilidade nossa agora de fazer uma reforma política para que dê instrumentos para que se possa fazer realmente uma geração de políticos realmente com “p” maiúsculo de verdade.”

Para que essa nova geração de líderes obtenha êxito, Benito Gama acredita que “usando os caminhos de Getúlio seria bom”. Segundo o ex-deputado, o patrono do PTB, do qual considera o maior líder nacional dos presidentes do Brasil, não é somente a grande referência para a legenda trabalhista, mas para a política nacional como um todo. O PTB, diz, gerou o PDT e o PT, são os nossos filhotes.

“Se ver os três partidos juntos, hoje, se fossem um partido único nessa área do trabalhismo, seria o maior partido majoritário tanto na Câmara como no Senado. Então, sempre essa referência. Foi sempre essa preocupação de cuidar bem, da igualdade para oportunidade para todos. Então, foi com Getúlio Vargas que começaram as grandes reformas sociais do Brasil”, disse. “Mas, infelizmente, o enfraquecimento do Congresso Nacional e dos governadores não é um bom caminho para fortalecer a democracia no Brasil.”

Agência Trabalhista de Notícias, por Felipe Menezes[/vc_column_text][/vc_column][/vc_row]