Busato e ministro do Desenvolvimento discutem alta nos insumos agrícolas

PTB Notícias 5/04/2010, 10:11


O vice-líder do Governo na Câmara, deputado federal Luiz Carlos Busato (PTB-RS), reuniu-se com o ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), Miguel Jorge, para debater a alta dos preços dos produtos agrícolas.

O encontro foi solicitado por parlamentares ruralistas que reclamam do elevado preço do glifosato chinês no mercado.

O glifosato, cujas vendas anuais superam R$ 1,2 bilhão, é a principal matéria-prima na confecção dos herbicidas (produtos usados para controle das chamadas ervas daninhas).

Decisão recente da Câmara de Comércio Exterior (Camex) estabeleceu uma taxa de 2,1% imposta ao produto chinês.

A medida foi tomada para evitar uma subcotação – diferença entre o produto comprado diretamente na fábrica e o comprado nos portos, por exemplo.

Porém, esta tarifa impede que o produto fabricado no Brasil seja vendido a preços menores do que os praticados na China.

A indústria é obrigada a importar o produto, elevando os custos da produção.

Os agricultores querem o fim, ou pelo menos a redução, dessa taxa, pois – segundo eles – isso elevaria a oferta do produto no mercado interno.

Hoje, apenas uma única multinacional, a Monsanto, importa o glifosato no país.

Os agricultores reclamam que o preço praticado pela Monsanto é muito alto, agravado pelo monopólio estabelecido pela empresa.

Segundo eles, não houve aumento da produção, o que torna inviável manter estável o preço dos produtos agrícolas.

A Monsanto, por outro lado, quer o aumento das taxas de importação.

De acordo com o deputado Luis Carlos Heinze (PP-RS), a multinacional detém 70% da produção doméstica porque importa de suas fábricas na Argentina e EUA.

Miguel Jorge prometeu levar as requisições dos parlamentares à próxima reunião da Camex, que deve ocorrer na próxima semana.

Além de Busato e do ministro, participaram o deputado Luiz Carlos Setim, a secretária executiva da Camex, Lytha Spíndola; o assessor especial do MDIC, José Luiz Azeredo; o pesquisador agrícola do IPEA, João Carlos Carvalho; e o gerente da Organização das Cooperativas Brasileiras, Marco Olívio de Oliveira.

fonte: site do deputado Luiz Carlos Busato (PTB-RS)