Cabo Amintas participa de ato em prol dos operadores de segurança pública

Agência Trabalhista de Notícias 22/11/2019, 11:35


Imagem Crédito: Divulgação/Assessoria

O vereador Cabo Amintas (PTB) participou, na quinta-feira (21), de ato de mobilização coletiva dos profissionais de segurança pública de Sergipe. O ponto de concentração foi o estacionamento do Teatro Tobias Barreto, em Aracaju. O ato aconteceu como forma de protesto à gestão do governador Belivaldo Chagas, pelas promessas que fez ao setor de segurança pública desde o início do mandato e que não foram cumpridas.

Amintas apoia o movimento “Frente Unificada dos Operadores de Segurança Pública”, composto por sindicatos e associações do Estado, por entender que, assim como ele, que já trabalhou nas ruas, estes profissionais arriscam suas vidas para proteger toda a sociedade sergipana, sem garantias de melhores condições de trabalho ou de carreira.

“Os policiais já estão há mais de sete anos sem reajuste, sofrem com um ticket alimentação de R$ 8. Eu tenho certeza que o governador Belivaldo Chagas não come com esses R$ 8, e nenhuma outra autoridade do Estado come com esse valor. Todos os policiais sofrem com essa humilhação, eles só querem ser tratados com dignidade. Infelizmente, o governador não conversa mais com as categorias e fica só ‘enrolando’. Agora, o governador está doente. Espero que ele esteja se tratando aqui no Estado, já que a saúde pública, na opinião dele, está muito boa. Além dos policiais, sofrem suas famílias e toda a população, que tem nas ruas homens humilhados e sem autoestima. É lamentável que o governador não se atente ao caos que está instalado”, criticou Amintas.

A Frente Unificada exige três pontos ao governo de Sergipe: reposição inflacionária, reestruturação das carreiras e melhoria das condições de trabalho dos profissionais de segurança.

Estiveram presentes a vereadora Emília Corrêa (Patriota), representantes de sindicatos e associações dos policiais civis, policiais militares, bombeiros militares, peritos criminais, papiloscopistas, policiais penais, agentes socioeducativos e demais profissionais da área.

Com informações da Câmara Municipal de Aracaju