Cafeteira diz que “denuncismo” contra Congresso põe democracia em risco

PTB Notícias 15/04/2009, 7:53


Ao comentar as recentes denúncias de irregularidades no Senado Federal e na Câmara dos Deputados, o senador Epitácio Cafeteira (PTB-MA) afirmou que “a onda de denuncismo contra parlamentares e funcionários não atinge somente pessoas; ultrapassa-as”.

Segundo o parlamentar, isso “mina de tal forma a credibilidade do Congresso Nacional que acaba colocando em risco a própria democracia”.

– Não pretendo defender qualquer irregularidade ou desvio.

Temos problemas, sim – reconheceu ele, nesta terça-feira (14/4), ao discursar em Plenário.

Na opinião do senador, a imprensa, ao investigar os casos de corrupção envolvendo o Parlamento, deve “alargar o espaço dedicado a essas questões, enfocando toda a teia e não somente fragmentos dela”.

A cobertura jornalística deveria ser realizada, declarou ele, “sem perder de vista a importância do Congresso enquanto pilar da democracia, enquanto instituição representativa da vontade popular”.

– Temos de entender que, se existem erros, são de membros da instituição, e não da própria instituição – disse ele.

Para Cafeteira, “a construção pejorativa da política pela mídia, ao confundir a política com mera instância de poder, pode comprometer o futuro da democracia brasileira”.

Ele destacou que isso acontece em um contexto no qual “grande parte da população brasileira, com toda razão, diante de notícias verdadeiras e outras distorcidas, considera o Poder Legislativo, cada vez mais, o menos confiável do tripé que sustenta nosso edifício democrático”.

– Parte da imprensa parece não perceber o peso de seu discurso e de sua produção de sentidos – alertou.

Cafeteira assinalou que entre as questões relativas ao Congresso que também merecem atenção estão as atividades das comissões – “já que os trabalhos do Senado e da Câmara não se restringem aos respectivos plenários” -; a relação entre representatividade e governabilidade; a exigência de projetos nacionais (e não apenas setoriais); e os itens abordados pela reforma política, como os financiamentos de campanhas eleitorais.

fonte: Agência Senado