Campos celebra 82 anos do voto feminino e diz que 2014 é o Ano da Mulher

PTB Notícias 26/02/2014, 16:56


O presidente estadual e secretário-geral nacional do Partido Trabalhista Brasileiro, deputado Campos Machado, destacou, na última segunda-feira (24/02/2014), o esforço que tem empreendido para que a participação feminina na política seja efetiva e condizente com a sua importância na sociedade.

“Há mais de 14 anos, criamos uma entidade, a AMTESP (Associação das Mulheres Trabalhistas do Estado de São Paulo), presidida por Marlene Campos Machado, para que pudéssemos ter um braço social, com a finalidade de auxiliar as comunidades e Ongs voltadas a ações de caridade e de promoção da pessoa humana.

Contudo, as lideranças femininas que se uniram em torno desse ideal, queriam muito mais, ou seja, a construção de um movimento organizado, forte e atuante, dentro do Partido”, afirma Campos.

“Estávamos num momento de transição interna do partido, e o grupo de mulheres trabalhistas, lideradas por Marlene, recriou o PTB Mulher Paulista, hoje presente em todos os municípios do Estado.

E é chegada a hora de a mulher ser protagonista da ação política, de forma efetiva e contundente.

As mulheres têm ocupado, com muito brilhantismo, espaços em todas as áreas de atuação, contudo, sua presença à frente de prefeituras, nos legislativos de todas as esferas, não está de acordo com a sua relevância, e até mesmo por serem a maioria do eleitorado.

” “Aqui no PTB, em todas as eleições, preenchemos todas as vagas que a legislação destina às mulheres, e vamos lutar também para que o percentual aumente, a fim de que atinjamos, o mais breve possível, a igualdade.

Nesse sentido, já decidimos que o PTB de São Paulo vai indicar uma mulher para a composição de chapa majoritária ao Governo do Estado, se vai ser vice ou Senado, decidiremos até o mês de junho”, conclui o líder do PTB.

Voto da MulherHá 82 anos, o presidente Getúlio Vargas eliminou as restrições que impediam a plena participação feminina na política e, através do Decreto 21.

076, de 24 de fevereiro de 1932, o novo Código Eleitoral Brasileiro conferia, em seu artigo 2o.

, o direito de voto às mulheres.

Mas a primeira eleitora do país foi a potiguar Celina Guimarães Viana, que invocou o artigo 17 da lei eleitoral do Rio Grande do Norte, de 1926: “No Rio Grande do Norte, poderão votar e ser votados, sem distinção de sexos, todos os cidadãos que reunirem as condições exigidas por lei”.

Em 25 de novembro de 1927 ela deu entrada numa petição requerendo sua inclusão no rol de eleitores do município.

O juiz Israel Ferreira Nunes deu parecer favorável e enviou telegrama ao presidente do Senado Federal, pedindo em nome da mulher brasileira, a aprovação do projeto que instituía o voto feminino, amparando seus direitos políticos reconhecidos na Constituição Federal.

fonte: Assessoria de Imprensa do Diretório do PTB em São Paulo