Campos Machado defende liberdade religiosa e combate tese de juiz

PTB Notícias 19/05/2014, 8:36


O presidente do PTB de São Paulo, secretário-geral nacional do PTB e líder do partido na Assembleia Legislativa paulista, deputado Campos Machado, afirmou, no domingo (18/5/2014), que “não é possível que ocorra discriminação contra a liberdade religiosa”, ao comentar sentença proferida por um juiz federal, da 17ª Vara Federal (RJ).

Campos Machado, que é presidente de honra da Associação Brasileira de Liberdade Religiosa e Cidadania e criou, há mais de sete anos, de forma inédita e pioneira, um departamento oficial de defesa e da promoção da Liberdade Religiosa, o PTB Inter-Religioso, disse que “a umbanda e o candomblé são religiões sim, além de estarem profundamente enraizados em nosso país”.

Autor da Lei de Liberdade Religiosa (Lei 12.

142/2005), verdadeiro divisor de águas sobre o respeito à pluralidade e à diversidade, e da recente lei que instituiu o Dia Estadual da Liberdade Religiosa (a ser comemorado todo dia 25 de maio), e detentor da Medalha “Arauto da Liberdade” e de homenagem da Associação Internacional de Liberdade Religiosa – entidade que tem assento na Comissão de Direitos da ONU -, Campos Machado vai reunir as lideranças religiosas com o objetivo de dar uma resposta e um posicionamento sobre o caso.

“Já entrei em contato com a nossa presidente do PTB Inter-Religioso, Dra.

Damaris Moura Kuo, que preside a Comissão de Direito e Liberdade Religiosa da OAB paulista, para mobilizar os líderes religiosos”, disse.

“A nossa luta é por defender a liberdade de culto e promover uma cultura de paz.

O Brasil é considerado o campeão mundial em liberdade religiosa, de acordo com recente estudo da Pew Research Center, de Washington/EUA.

Não vamos admitir nenhum tipo de discriminação e retrocesso”, concluiu Campos Machado.

Agência Trabalhista de Notícias (LL), com informações do PTB-SP Foto: Divulgação