Campos Machado pede que TCE investigue contrato do Poupatempo em SP

Agência Trabalhista de Notícias 16/07/2020, 9:45


Imagem Crédito: Sergio Galdino/Alesp

Após o reconhecimento de um assinatura em um contrato de 146 milhões de reais entre a empresa da família da empresária Cristina Boner, ex-mulher de Frederick Wassef, e o Poupatempo de São Paulo, o secretário-geral do PTB e presidente do partido em São Paulo, deputado estadual Campos Machado pediu, na terça-feira (14), ao Tribunal de Contas do Estado de São Paulo (TCE) explicações sobre o negócio.

No documento encaminhado ao presidente do TCE, conselheiro Edgard Camargo Rodrigues, o deputado expôs o histórico da empresária.

“Todo esse acervo de notícias, levantando peculiaridades de Cristina Boner, através de empresas, consórcios, denúncias e envolvimento em escândalos de corrupção, levou-me a requerer explicações sobre a ‘generosa’ verba destinada a empresa dela pelo Governo do Estado”, diz o deputado.

“Sem prejuízo de uma acurada investigação sobre a legalidade e a legitimidade do processo licitatório, correspondente ao contrato de gestão dos postos do Poupatempo no estado, […] se faz urgente e necessário, e sem qualquer pré-julgamento, a análise dos pré-requisitos de idoneidade”, registra o documento.

Campos Machado destaca, ainda, que “trata-se de um grupo empresarial frequentemente acusado de envolvimento em negócios suspeitos, que agora vai gerenciar serviços de altíssima relevância para o cidadão paulista, os quais são prestados pelos postos do Poupatempo no Estado”.

Com informações da Veja