Campos Machado quer transformar PTB na 4ª via da política paulista

PTB Notícias 15/01/2011, 8:34


Em visita ao prefeito em exercício de São Bernardo (SP), o petebista Frank Aguiar (PTB), neste final de semana, o deputado e presidente estadual do PTB de SP, Campos Machado, disse que pretende transformar o partido na 4ª via da política paulista.

Na avaliação do petebista, o PSDB é a primeira força política do Estado, seguida de PT, vindo logo após PMDB e DEM, como terceira via.

Segundo o parlamentar, o PTB conta atualmente com 80 mil filiados e para as eleições municipais em 2012 “pensa grande”: eleger 100 prefeitos e 1000 vereadores.

Campos destacou ainda que no ABC a legenda tem objetivo de reeleger o prefeito de Santo André, Aidan Ravin, emplacar o sucessor do prefeito de São Caetano, José Auricchio Jr, além de buscar nomes para lançar candidaturas próprias nas demais cidades da região.

“Chegou a hora de o PTB deixar de ser vagão e se tornar locomotiva”, enfatizou o deputado.

“Diga ao Aidan que já estamos em campanha”, frisou Campos para Silvio Ravin, coordenador regional do partido.

Campos elogiou muito Frank, seu afilhado político, lembrando que o convidou para disputar a prefeitura em 2008, pedido que Frank negou, pois já tinha compromisso com o então candidato Luiz Marinho (PT).

“(Frank) diga ao Marinho que tenho grande admiração por ele”, destacou, ao ressaltar que a expectativa para 2012 é reproduzir a “união que deu certo em 2008”.

Nome importante`O líder partidário revelou ainda que os trabalhistas estão se aproximando de um nome importante do PMDB de São Paulo, mas não quis revelar o nome.

Apenas assegurou que não procurou o prefeito da Capital, Gilberto Kassab (DEM), que pode migrar para o PMDB.

“Temos lado.

Não há hipótese alguma de ficarmos do lado do Kassab e contra o (governador tucano) Geraldo Alckmin.

O prefeito interino comentou os boatos que surgiram nos últimos dias, de que poderia ir para a pasta de Cultura.

“Quando voltar de férias, o prefeito (Marinho) vai conversar sobre isso.

Colocou (a Secretaria) a minha disposição e eu disse que não precisaria ser secretario.

Porém, acredito que a pasta precisa de mais atenção”, sustentou petebista.

* Agência Trabalhista de Notícias com informações do Diário Regional