Campos Machado reúne 400 em apoio à chamada PEC da dignidade

PTB Notícias 16/06/2013, 12:38


Com plenário lotado, o deputado Campos Machado, líder do PTB na Assembleia Legislativa de São Paulo, realizou um ato suprapartidário de apoio à PEC 01/2013, que transfere para o chefe do MP (Ministério Público) a incumbência de propor investigação que envolva prefeitos, governador, deputados e membros do próprio MP.

O ato foi realizado na última sexta-feira (14/06/2013).

Cerca de 400 prefeitos, vices, ex-prefeitos, ex-vice-prefeitos, vereadores, sindicalistas e lideranças políticas de todo Interior do Estado compareceram à Assembleia Legislativa para manifestar seu apoio à PEC.

Para evitar eventuais represálias de promotores, os organizadores do ato suprapartidário evitaram a divulgação da relação completa dos convidados, mas compuseram a mesa do evento o deputado federal Cândido Vaccarezza (PT), os deputados estaduais Luciano Batista (PSB), Ramalho da Construção (PSDB), Roque Barbiere (PTB), Luiz Claudio Marcolino (PT), Beto Trícoli (PV), Antônio Mentor (PT), José Bittencourt (PSD) e o vereador Marquito (PTB).

O objetivo da PEC 01/2013, também batizada como “PEC da Libertação” ou “PEC da Dignidade”, segundo seu autor, o deputado Campos Machado, “é defender a bandeira da dignidade e da honra dos prefeitos”.

Campos Machado afirmou em seu discurso que recebe ligações diárias de prefeitos reclamando de perseguições políticas por parte do MP.

“São promotores recém-empossados, sem experiência e loucos por holofotes que, antes mesmo de instaurarem uma investigação, vazam para a imprensa as informações.

Depois de alguns anos, fica provado que a ação do MP era descabida, mas a honra do prefeito, que é seu maior patrimônio, já está irremediavelmente arranhada”, afirmou o líder petebista.

A PEC 01/2013 está pronta para ser votada pelos deputados paulistas e, em acordo no Colégio de Líderes da Casa, deve ser pautada para o dia 14 de agosto.

Entre outros, já declararam apoio à iniciativa de Campos Machado o presidente do TJ (Tribunal de Justiça), desembargador Ivan Sartori, e o Procurador-Geral do Estado, Elival Ramos.

Na Assembleia Legislativa, a “PEC da Dignidade” conta com apoio das bancadas do PT, PSB, PV, PTB, PSD e de deputados de outras bancadas que não fecharam questão sobre a votação, mas que declararam apoio individual ao projeto de emenda constitucional.

fonte: site do Diretório do PTB de São Paulo